Gerson Luís (PTB) foi eleito por 13 votos o novo presidente da Câmara de Vereadores para o ano de 2015 | Foto: Jonathas Costa / OA

O vereador Gerson Luís (PTB) foi eleito o novo presidente da Câmara de Vereadores de Alvorada para o ano de 2015. A eleição da nova Mesa Diretora foi realizada na tarde de terça-feira (16) em uma sessão marcada por discursos fortes.

Nos bastidores, o atual presidente da Casa, Valter Slayfer (PDT), tentava a reeleição contrariando acordo firmado ainda em 2012 pela base aliada do governo, que destinava a presidência para o PTB em 2015, depois da passagem do PT pelo comando da Câmara em 2013 e do PDT em 2014. Slayfer, contudo, não conseguiu apoio suficiente e acabou não inscrevendo chapa para a reeleição.

Na votação desta terça, que ocorreu com chapa única, Gerson Luis foi eleito por 13 votos. Schumacher (PT), Appolo (PMDB), Irmã Sara (PMDB) e Slayfer se abstiveram.

Neto Girelli (PTB) cobrou dos quatro vereadores que se abstiveram o cumprimento do acordo, mas Schumacher e Appolo negaram qualquer comprometimento | Foto: Jonathas Costa / OA
Neto Girelli (PTB) cobrou dos quatro vereadores que se abstiveram o cumprimento do acordo, mas Schumacher e Appolo negaram qualquer comprometimento | Foto: Jonathas Costa / OA

Tensões
Antes de a votação começar, Neto Girelli (PTB) discursou na tribuna e, em tom irônico, falou que não “chutaria cachorro morto”, em referência a tentativa frustrada de reeleição de Slayfer. A vereadora Professora Nadir (PTB) parafraseou mensagem da Bíblia ao lembrar Slayfer que “há tempo para tudo na vida, inclusive tempo de começar e tempo de terminar”. O pedetista, por sua vez, cobrou em discurso o colega de partido Preto (PDT) pela falta de apoio.

As indiretas e alfinetadas, contudo, deram espaço a cobranças e discursos mais tensos após o término da votação aberta. Júlio Bala (PMDB) solicitou justificativa de voto e na tribuna acusou Gerson Luís de ter garantido a presidência da Casa em troca de cargos.

Neto Girelli (PTB) fez discursos fortes e chegou a discutir com Schumacher e Appolo no plenário | Foto: Jonathas Costa / OA
Neto Girelli (PTB) fez discursos fortes e chegou a discutir com Schumacher e Appolo no plenário | Foto: Jonathas Costa / OA

Já Girelli voltou à tribuna para cobrar dos quatro vereadores que se abstiveram uma posição de apoio ao acordo. Por dois momentos o petebista discutiu aos gritos com Schumacher e Appolo, que negou ter acordado qualquer apoio a Gerson Luís. “Se algo não foi cumprido, foi o acordo de 2012 que previa o rodízio da presidência com participação do PMDB. Neste governo somos oposição e não empenhamos palavra com a eleição de Gerson”, garantiu. Schumacher também negou que tivesse se comprometido com o voto em Gerson Luís para a presidência.

Mesmo com as trocas de alfinetadas no plenário, Slayfer foi reconhecido como um bom presidente. “Sua passagem por esta Casa já está marcada com a retomada da obra do novo prédio da Câmara”, lembrou Miro Eletricista (PRB). “Espero que o cronograma da obra se cumpra porque, se os acordos forem mantidos, em 2016 serei eu”, brincou, ao insinuar o desejo por utilizar as novas dependências da presidência.

Fonte: O Alvoradense