A fórmula proposta autoriza a adição de leite ou mel à cerveja | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/OA
A fórmula proposta autoriza a adição de leite ou mel à cerveja | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/OA

Uma consulta pública disponibilizada nesta quarta-feira (22) pelo Ministério da Agricultura pretende, com a ajuda dos consumidores, mudar a fórmula da cerveja. As partes interessadas têm dois meses para se manifestar sobre o assunto e fazer sugestões.

O texto atual teve como base discussões com o setor cervejeiro ao longo de 2013. Ele permite a adição de matérias-primas de origem animal como leite e mel à bebida. Hoje, para ser considerada cerveja, o produto só pode receber sucos vegetais.

A receita proposta pelo governo contemplou a maior parte das reivindicações dos cervejeiros. Porém, não houve consenso quanto ao pedido de parte do setor privado de redução no percentual da cevada maltada de 55% para 50%.

A redução permitiria uma adição maior de cereais, como milho e arroz, reduzindo os gastos com matéria prima. A alteração, no entanto, não foi considerada necessária pelo Ministério da Agricultura e ficou de fora do texto consolidado com o setor.

O objetivo da mudança na fórmula da cerveja é permitir a fabricação de maior variedade e de versões mais refinadas da bebida, tornando o setor cervejeiro mais competitivo no Brasil e no exterior.

Terminada a etapa da consulta pública, a discussão sobre o assunto passará a ocorrer no Mercosul, que também precisa aprovar as modificações na receita. A cerveja é um dos produtos cujos padrões de qualidade e identidade são harmonizados entre os países do bloco.

A estimativa do Ministério da Agricultura é que a nova receita seja tornada oficial somente em 2015.

O documento completo com a nova fórmula pode ser visualizado no site do Ministério da Agricultura. As sugestões sobre o texto devem ser encaminhadas até 22 de março para o e-mail cp.cerveja@agricultura.gov.br ou para o endereço Esplanada dos Ministérios – bloco D – anexo B – sala 349 – Brasília – DF – CEP 70.043-900, aos cuidados da Coordenação de Vinhos e Bebidas do ministério.

Fonte: Agência Brasil