Céu limpo no entardecer desta quinta-feira deve dar lugar à instabilidade neste feriadão | Foto: Jonathas Costa/OA
Céu limpo no entardecer desta quinta-feira deve dar lugar à instabilidade neste feriadão | Foto: Jonathas Costa/OA

A MetSul Meteorologia divulgou um alerta na tarde desta quinta-feira (19) para o que considera “um evento significativo de chuva extrema” durante o feriadão Farroupilha.

A precipitação acima da média deve ocorrer especialmente na metade Norte do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Sudoeste do Paraná, no entanto, devido aos grandes volumes de chuva, rios da Serra e Região Metropolitana podem encher rapidamente.

A MetSul desaconselhou viajar ao Litoral Norte gaúcho e à costa catarinense porque ambas regiões terão chuva em volumes excessivos e com condições de trafegabilidade perigosas nas rodovias, devido ao risco de queda de barreiras, com possíveis interrupções de tráfego, e aquaplanagem.

Os volumes nestas áreas devem ficar entre 100 e 200 milímetros, mas existe a possibilidade de pontos onde os volumes ultrapassem os 300 milímetros. “Uma vez que a chuva extrema se dará em regiões de relevo, volumes isolados ainda mais altos não podem ser descartados”, alerta o boletim.

O evento, considerado extremo, significa dizer que algumas áreas podem ter a média de um a dois meses de chuva em apenas 72 horas. “Isso cria um cenário perigoso em que há alto risco de alagamentos, inundações, transbordamentos de rios e córregos, quedas de barreiras e deslizamentos de terra”, aponta o documento.

As projeções dos modelos analisados pela MetSul também sugerem um alto risco de enchentes na Metade Norte do Rio Grande do Sul e Santa Catarina nos próximos dias. O cenário mais crítico desenha-se para Santa Catarina, mas as condições são de alto risco também para os gaúchos.

A perspectiva de chover muito no Litoral Norte do Rio Grande do Sul agrava o risco de cheias dos rios Gravataí e Sinos. Na última cheia do Gravataí, no final de agosto, o Arroio Feijó enfrentou uma de suas piores enchentes, alagando grandes áreas de Alvorada por mais três semanas.

O tempo começa a mudar já na noite desta quinta-feira. No decorrer da sexta, a chuva segue se deslocando para o Sul e alcança quase todo o território gaúcho. Em Alvorada a precipitação pode perdurar até terça-feira.

Cheia do Gravataí no final de agosto fez Arroio Feijó transbordar e alagar grandes áreas de Alvorada por três semanas| Foto: Jonathas Costa/OA
Cheia do Gravataí no final de agosto fez Arroio Feijó transbordar e alagar grandes áreas de Alvorada por três semanas| Foto: Jonathas Costa/OA

Fonte: O Alvoradense