Mais um grupo de médicos cubanos, participantes do programa Mais Médicos, chegou a Porto Alegre nesta terça-feira (29). Na soma com os profissionais — estrangeiros e brasileiros formados no Exterior — chegados nos últimos dias, o Rio Grande do Sul compôs o total de 217 médicos oriundos da primeira leva do Mais Médicos para o trabalho no Estado.

O desembarque no Aeroporto Internacional Salgado Filho, porém, não foi tão festejado e nem foi alvo de protestos, como temiam os defensores da iniciativa. É que ocorreram imprevistos na viagem. Segundo a Infraero, o voo teve uma escala em Florianópolis, onde a aeronave da Força Aérea Brasileira passou por pequenos reparos antes de prosseguir seu voo ao destino final.

A chegada originalmente estava prevista para ocorrer pela manhã. Depois, no início da tarde. Ambas as previsões caíram diante de uma demanda técnica. Quando desembarcaram, cansados, por volta das 16h, caminharam rapidamente até um ônibus fretado pelo governo federal para o traslado até as acomodações, na Capital.

Mesmo assim, foram recepcionados pelo entusiasmado militante da Associação Cultural José Marti, Gildo Doebber, que os aguardava trajado com camiseta estampada com o rosto de Che Guevara, boina com broche de estrela e bandeira de Cuba em punho. “Vejo esse momento com muito otimismo, pois sei do anseio das comunidades carentes pela atenção desses profissionais”, declarou.

A cubana Irene Nuñes, de 40 anos, retribuiu a boa vinda dizendo que esperava ansiosa para conhecer o Brasil. “Venho cooperar com a população com meu trabalho e brindar aos brasileiros com amor pela Medicina e carinho pelas pessoas”, disse.

Fonte: Correio do Povo