Segundo a família da vítima Deroci é o quinto operário que sofreu acidente nesta obra | Foto: Jonathas Costa / OA
Segundo a família da vítima Deroci é o quinto operário que sofreu acidente nesta obra | Foto: Jonathas Costa / OA

Um operário que trabalha no canteiro de obras de um prédio comercial na avenida Presidente Getúlio Vargas, altura da parada 50, caiu de uma altura de cerca de oito metros na manhã desta sexta-feira (14).

Identificado como Deroci Soares Pereira, de 63 anos, o trabalhador foi encaminhado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital de Alvorada, onde passou por exames que identificaram preliminarmente  possíveis fraturas em uma das pernas, ombro e costelas. Deroci pode também ter sofrido perfuração no tórax.

De acordo com a filha da vítima, Raiane Pereira, este não seria o primeiro acidente em um canteiro de obras da empreiteira Bela Vista, responsável pela construção. A jovem afirma que desde o ano passado pelo menos cinco funcionários sofreram quedas, três deles nesta mesma obra onde Deroci se acidentou.

Ainda conforme a família, a empresa fornece equipamentos de segurança, mas não exige uso dos funcionários e, em muitos casos, o equipamento é fornecido já desgastado, o que também prejudica a segurança. 

Empresa nega negligência
Sidnei Grasel, proprietário da empreiteira Bela Vista, nega que tenham ocorridos outros acidentes na mesma obra. “Apenas três funcionários trabalham ali e apenas na semana passada as paredes começaram a ser erguidas”, relata.

De acordo com ele, em 30 anos de trabalho, apenas cinco acidentes foram registrados nos canteiros de obras da empresa.

Grasel conta que na quinta-feira foi até o local onde ocorreu o acidente nesta sexta. “Notei que eles (os operários) haviam construído andaimes com pedaços de madeira. Tenho milhares de andaimes de ferro e alertei que aquela não era a maneira correta. Eles me disseram que não havia perigo”, conta.

A estrutura desabou nesta manhã com três trabalhadores em cima. Dois deles se feriram sem gravidade, o outro foi Deroci, que ainda passa por exames. “Se ele realmente se fraturou da maneira como a família dele relatou, esta será a primeira vez que alguém quebra um osso num canteiro de obras da minha empresa”, garante Grasel.

Fonte: O Alvoradense