Homem que se passava por motorista de aplicativo é suspeito de mais um estupro

Acusado já estava preso, reconhecido por duas vítimas de Alvorada e agora uma terceira, da Capital

1613
Foto: Divulgação / Deam / Arquivo / OA

O homem de 30 anos, que já estava detido desde março por dois estupros em Alvorada, é suspeito de agredir e roubar uma mulher em Porto Alegre, na mesma época dos outros crimes.

Ele se passava por motorista de aplicativo para se aproximar das suas vítimas e teve mandado de prisão preventiva cumprido na segunda-feira (10) na Penitenciária Estadual de Canoas (Pecan), onde estava desde 8 de março. A ação de cumprir o mandado, mesmo ele já estando preso, garante que, caso seja solto em um dos casos, permaneça na cadeia pelas outras acusações.

Morador de Porto Alegre, não teve a identidade revelada e é citado em cinco inquéritos da Polícia Civil, um em Porto Alegre e quatro em Alvorada, sendo que em três foi indiciado por estupro.

Deam Alvorada

Em Alvorada, os casos estão sendo investigados pela Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (Deam) que tem como titular Samieh Saleh, que o indiciou em dois inquéritos pelo crime de estupro.

No município as ocorrências foram registradas no final de fevereiro e início de março. No primeiro caso, a mulher relatou que foi abusada durante uma corrida fora do aplicativo, o que dificultou a identificação do investigado. No outro caso, durante viagem feita pelo aplicativo, a vítima fez print da tela do celular com as informações do motorista. Assim, a polícia descobriu que o homem, que não possui Carteira de Habilitação, usava o perfil do tio da namorada no aplicativo para rodar como motorista. O titular acabou sendo excluído pelo aplicativo e, ser for comprovada a participação dele nos crimes, também poderá ser responsabilizado.

A delegada Samieh ressalta que jamais se deve fazer corridas fora do aplicativo. E quando fizer no aplicativo, é importante mandar print do trajeto e de informações do motorista para conhecidos. “Se aparecerem novos casos, vamos representar pela prisão”, informa.

O mesmo homem possui antecedentes por receptação de veículos, em 2019, quando foi alvo de outros dois inquéritos em Alvorada, um envolvendo uma ex-namorada e o outro uma amiga. Em uma das investigações ele foi indiciado por estupro, com pedido de prisão enviado ao judiciário, mas não foi detido. Sendo que o outro procedimento acabou encerrado por falta de provas.

Ainda conforme a titular da Deam Alvorada, há informação de que ele poderia ter cometido outros estupros. “É importante que as vítimas registrem ocorrência”, ressalta a delegada. A Deam de Alvorada fica na rua Alberto Pasqualini, 404, bairro Sumaré.