O morador do loteamento Porto Verde, identificado como A.S.S., 35 anos, teve a sua casa arrombada e furtada pela segunda vez em menos de um mês. Os bandidos carregaram aparelho de som, câmera digital e computador. O prejuízo é estimado em R$ 4 mil.

Crimes como este acontecem diariamente nessa região, e a vizinhança já não sabe mais o que fazer com essa situação.

“Eles entraram na minha casa pela porta da frente, na maior naturalidade, como se morassem ali, e fizeram uma limpa. Será que vamos ter que fazer justiça com as próprias mãos? Já não basta gastarmos dinheiro pagando por segurança privada”, desabafou o morador, que vive no bairro há sete meses.

Câmeras de vigilância instaladas em uma das casas flagrou esta ação, e as imagens foram entregues à equipe da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Alvorada, que está investigando pelo menos dez casos semelhantes desde o começo deste ano.

Nas gravações os moradores conseguiram identificar a placa do carro usado pelos bandidos. Ao pesquisarem na internet eles conseguiram encontrar o mesmo veículo numa revenda na avenida Assis Brasil, em Porto Alegre.

Assaltantes simulam pane mecânica para despistar | Foto: Reprodução / OA

A revolta de quem mora no Porto Verde é grande, principalmente pela falta de resposta das autoridades. “Pagamos um absurdo de IPTU para quê? Não temos nem iluminação. Para que pagar imposto se não tenho o básico, que é a segurança? A prefeitura, o secretário de segurança devem olhar mais para cá, existe muita impunidade”, lamentou o morador.

Durante reunião realizada na semana passada, entre a Associação dos Moradores do Porto Verde e a equipe do 24º Batalhão de Polícia Militar, comandada pelo tenente-coronel Júlio César Rocha Lopes, a BM se comprometeu a ajudar nas investigações, mas dentro dos parâmetros legais.

“Tivemos conhecimento dessas filmagens feitas de um dos arrombamentos, e o serviço de inteligência da BM vai colaborar com a polícia civil para solucionar esses problemas no Porto Verde”, afirmou o soldado Valdez.

No encontro, foi confirmado pela própria BM que já existe um projeto de instauração de um posto fixo, localizado na Avenida A, próximo ao posto Tróia. Porém, ainda não há uma data prevista, pois depende da confirmação da Secretaria Nacional de Segurança Pública, já que se trata de um plano dos governos federal, estadual e municipal.

Como ainda não há um posto fixo, de 15 em 15 dias um posto móvel da BM é instalado na região, assim como rondas em viaturas e motocicletas são feitas com a finalidade de diminuir o número de furtos e assaltos na região, dando mais segurança à comunidade que vive no loteamento Porto Verde.

Fonte: Fernanda Escouto / O Alvoradense