O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) recuou em quatro das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) entre a terceira e a última semanas de setembro, apesar de apresentar alta de 0,03 ponto percentual e fechar o mês em 0,3% na média nacional.

A maior queda foi observada em Brasília: 0,12 ponto percentual, ao passar de 0,33% para 0,21% no período.

Outras quedas foram percebidas nas cidades de Salvador de 0,04 ponto percentual, ao passar de -0,08% para -0,12%, Recife de 0,03 ponto percentual, ao passar de 0,22% para 0,19% e Porto Alegre que passou de 0,33% e para 0,3% com 0,03 ponto percentual.

Por outro lado, três das sete capitais tiveram alta na taxa entre a terceira e a quarta semanas de setembro: Belo Horizonte (0,15 ponto percentual, ao passar de 0,37% para 0,52%), São Paulo (0,07 ponto percentual, ao passar de 0,3% para 0,37%) e Rio de Janeiro (0,06 ponto percentual, ao passar de 0,32% para 0,38%).

Entre os grupos que apresentaram maior acréscimo em suas taxas de variação estão vestuário (0,65% para 0,86%), transportes (-0,02% para 0,07%) e comunicação (0,14% para 0,20%). Para cada uma destas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens: roupas (0,69% para 0,76%), automóvel novo (0,05% para 0,19%) e tarifa de telefone móvel (-0,61% para -0,43%), respectivamente.

De acordo com a FGV, os grupos que apresentaram maior decréscimo dos preços e redução da média em Porto Alegre, e demais capitais que registraram queda no país, estão: alimentação (0,20% para 0,14%), educação, leitura e recreação (0,21% para 0,11%) e despesas diversas (0,22% para 0,09%). Nestas classes de despesa, os destaques partiram dos itens: hortaliças e legumes (-10,32% para -12,54%), hotel (1,22% para 0,53%) e clínica veterinária (1,19% para 0,64

Fonte: O Alvoradense