Informações socioeconômicas e de qualidade das escolas devem ser incluidas nos resultados do exame | Foto: Wilson Dias/Abr/OA
Informações socioeconômicas e de qualidade das escolas devem ser incluidas nos resultados do exame | Foto: Wilson Dias/Abr/OA

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terminam nesta sexta-feira (5). Segundo o Ministério da Educação (MEC), cerca de seis milhões de pessoas já estão inscritas para as provas. A expectativa é de que até as 23h59min mais três milhões se habilitem para realizar o exame. A inscrição pode ser feita no site da prova.

O exame custa R$ 63,00, que pode ser pago até 10 de junho. Estudantes de escola pública que irão concluir o Ensino Médio este ano e participantes que declararem carência são isentos da taxa – a renda familiar deve ser igual ou inferior a um salário mínimo e meio e que cursaram o Ensino Médio completo em escola da rede pública ou como bolsista integral em privada.

Qualquer tipo de atendimento específico deve ser solicitado no momento da inscrição. Baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual, surdocegueira, dislexia ou qualquer outra condição especial.

É oferecido também o atendimento específico a gestantes, lactantes, idosos, estudantes em classe hospitalar e sabatistas (pessoas que guardam o sábado por convicção religiosa). Após a inscrição, participantes transexuais e travestis podem pedir o uso do nome social, também através do site do Enem.

O que é o Exame Nacional do Ensino Médio
O Enem foi criado para avaliar os alunos que estão concluindo o ensino médio ou que já o concluíram em anos anteriores. Não importa a idade nem o ano do término do curso, basta que o interessado faça sua inscrição na página eletrônica do Enem. Estudantes que não terminarão o Ensino Médio este ano podem participar como treineiros. O resultado das provas pode ser usado como ingresso ou auxílio, dependendo da universidade, no acesso ao Ensino Superior. O Ministério da Educação (MEC) espera que mais de 9 milhões de pessoas se candidatem aos testes em 2015.

Fonte: O Alvoradense