O diretor administrativo da Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul, Cláudio Somacal, foi afastado na manhã desta segunda-feira. Com ele, já são sete pessoas que deixaram o cargo em decorrência das investigações da operação Kilowatt, deflagrada na quinta-feira (09).

Na sexta-feira (10), o titular da Secretaria de Obras Públicas, Irrigação e Desenvolvimento Urbano do Rio Grande do Sul, secretário Luiz Carlos Busato, anunciou que três servidores investigados pela operação Kilowatt pediram afastamento dos cargos: o secretário adjunto da pasta, Germano Dalla Valentina (PTB); o diretor-geral da secretaria, Eli Pegoraro (PTB); e o diretor de Obras Públicas, Odir Baccarin.

Busato informou ainda que será aberta uma sindicância para apurar o suposto envolvimento dos servidores em irregularidades. Uma comissão composta por um procurador da Procuradoria Geral do Estado (PGR), um auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e três servidores da secretaria – um advogado, um engenheiro e um arquiteto – terão 30 dias para apurar as denúncias.

Fonte: Correio do Povo