Segundo o Sindicato do RS o movimento segue forte  | Foto: Agência Brasil / Divulgação  / OA
Segundo o Sindicato o movimento segue forte em todo o Estado | Foto: Agência Brasil / Divulgação / OA

A greve dos funcionários dos Correios que já dura quase 40 dias pode ter um fim na semana que vem. O Tribual Superior do Trabalho (TST) vai julgar a paralisação da categoria na próxima quarta-feira (12), às 15h30, em Brasília. A sessão deve ocorrer na sede do Tribunal.

A principal reivindicação dos trabalhadores da estatal é a manutenção do plano de saúde sem custo. O TST irá decidir em julgamento se a paralisação é abusiva.

A categoria reclama que o benefício é uma conquista de mais de 30 anos e que uma cláusula determinaria que a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) fosse acionada antes de mudanças no plano.

Outra reivindicação é a mudança no horário das entregas das correspondências para o turno da manhã. Atualmente, ocorrem à tarde. A empresa ajuizou uma ação cautelar contra a Fentect para avaliar a legalidade da greve. A ação será julgada pela Seção Especializada em Dissídios Coletivos (SDC) do TST.

Há divergências sobre a adesão ao movimento. O Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telegrafos do RS (Sintect) estima que 60% da categoria está paralisada. A direção regional dos Correios afirma que são 11%. Mesmo assim, a entrega das correspondências segue prejudicada.

Na semana passada os trabalhadores dos Correios em Alvorada publicaram uma carta aberta pedindo a compreensão da população quanto à greve. Segundo o sindicato 60% do efetivo da cidade aderiu ao movimento. 

Fonte: O Alvoradense