Um dos membros da quadrilha continua foragido | Foto: Policia Civil  / Divulgação / OA
Um dos membros da quadrilha continua foragido | Foto: Policia Civil / Divulgação / OA

Os acusados de envolvimento em uma operação da Polícia Civil desarticulada em 2012 para coibir assaltos a residências, sítios e a clientes de bancos foram julgados e condenados nesta semana pela Justiça de Alvorada. Dos quatro réus, um deles continua foragido.

Um dos assaltantes, o mais violento conforme as vítimas do crime ocorrido em agosto de 2012, ocupava um cargo em comissão na Secretaria de Administração da Prefeitura de Porto Alegre, como motorista.

A quadrilha foi responsável pelo sequestro de um empresário e sua família em Alvorada. As vítimas sofreram tortura psicológica e física dentro de casa. A filha do empresário foi ameaçada de perder o dedo e a mulher teve o cabelo cortado com uma faca, alem de levarem socos e coronhadas dos bandidos que permaneceram no interior da residência por, pelo menos, duas horas.

Segundo o depoimento do empresário na época, a quadrilha possuía informações sobre a rotina da família. Após cinco meses do crime, duas pessoas foram reconhecidas. Depois disso, todos os membros da família passaram a receber ameaças.

Valdomiro Wagner dos Santos Corrales, considerado o líder e um dos mais violentos do bando,  foi condenado a 10 anos e 6 meses de reclusão. Vanduir Martins de Lima também deve cumprir pena 10 anos e 6 meses. Já Luciano Gomes dos Reis foi condenado a 9 anos de reclusão, mas está foragido. Bruno Pedroso Gonçalves foi condenado a 7 anos e 6 meses de prisão.

 Fonte: O Alvoradense