Justiça suspende vacinação de adolescentes em município mineiro

Prefeitura de Betim pretendia utilizar doses da Pfizer em jovens de 12 a 14 anos

168
Foto: @REUTERS / Washington Alves / Agência Brasil / OA

Ainda que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tenha autorizado a aplicação da vacina da Pfizer em pessoas a partir de 12 anos de idade, o fato do Ministério da Saúde não ter incluído esta faixa etária no Programa Nacional de Imunizações (PNI), impede que os estados e municípios realizem a imunização, ainda que tenha as doses.

Foi o que aconteceu com a Prefeitura de Betim (MG), que informou nesta quinta-feira (17) que a Justiça suspendeu a vacinação de adolescentes de 12 a 14 anos na cidade. Em nota, o município informou que recorrerá da decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Betim iniciaria a vacinação dos adolescentes antes de terminar a de adultos. O governo local pretendia imunizar aproximadamente 19 mil estudantes. Os alunos da rede municipal de ensino dos 7º, 8º e 9º ano do ensino fundamental seriam os primeiros a receberem a vacina.

Ao longo da semana, deveria ser aberto o cadastro para que as instituições de ensino públicas e privadas fizessem a adesão dos alunos.

Segundo o prefeito de Betim, Vittorio Medioli, a ideia era evitar que as crianças perdessem o ano letivo por causa da Covid-19, pois a vacinação dos professores já foi iniciada no município.

Fonte: Agência Brasil