Manifestantes gritaram, aplaudiram e oraram em memória das vítimas da chacina | Foto: Ogando da Rocha / Especial / OA

Cerca de 250 pessoas foram às ruas no bairro Jardim Algarve, zona Sul da cidade, na manhã de domingo (8) pedir por justiça e paz na região.

• FOTOS: Veja as imagens do protesto

Vestidos de branco e com cartazes e faixas contendo as fotos dos quatro jovens mortos na chacina da vila Recanto do Algarve na semana passada, o grupo saiu da igreja Santa Hedviges, onde ocorreu a Missa de Sétimo Dia, e se reuniu em frente ao posto da 2ª Companhia da Brigada Militar.

De mãos dadas, os manifestantes abraçaram o prédio em uma forma de pedir por reforço na segurança da região. Dali, partiram em caminhada até o local do crime. Amigos, parentes e até desconhecidos das vítimas participaram do ato. Em frente à casa onde Jonas Dorneles de Souza, 16 anos, Cristian Rodrigues de Assis, 19, Bryan Ildo de Andrade, 16, e Andrey Flores Monticelli, 16, foram mortos, balões brancos foram soltos.

Com imagens das vítimas, moradores foram até a cena do crime pedir por justiça | Foto: Ogando da Rocha / Especial / OA
Com imagens das vítimas, moradores foram até a cena do crime pedir por justiça | Foto: Ogando da Rocha / Especial / OA

O pedido era um só: paz. Acuados desde o último domingo, moradores deixaram a vila e foram para casa de parentes. No restante do bairro, o sentimento de insegurança é latente. Os próprios moradores chagaram a se impor toque de recolher durante a semana. Muitos relatam tiroteios frequentes.

A Brigada Militar se comprometeu a intensificar o policiamento. Desde o domingo, o patrulhamento foi reforçado e há presença de viaturas durante as 24 horas do dia. O que parece não ser suficiente para resgatar o sentimento de tranquilidade que, mesmo nunca tendo existido a pleno, antes era um desejo possível.

Fonte: O Alvoradense