Final da aula e entre o burburinho da saída uma menina é bruscamente separada da companhia dos colegas, arrastada para um terreno baldio e violentada. A garota, de apenas 12 anos, sofreu o abuso sexual em um terreno próximo à escola onde cursava o ensino fundamental na quarta-feira, dia 29.

O homem acusado de violentar a menina foi preso na quinta-feira, dia 30, pelos agentes da 2ª Delegacia da Policia (DP) Civil de Alvorada.  Sob a coordenação da delegada Fabiana Borges Kleine os policiais cumpriram, um dia depois da suposta de violência sexual, o mandado de prisão preventiva do acusado que, após prestar depoimento foi encaminhado para o Presídio Central de Porto Alegre.

Os policiais conseguiram prendê-lo com a denúncia dos pais da adolescentes, que ocorreu logo após a constatação do abuso. A rapidez em denunciar é um dos fatores decisivos para que haja a prisão do culpado em casos desta natureza. De acordo com a Polícia Civil, o homem não possuía antecendentes criminais. A única acusação que consta no cadastro dele junto à Justiça era estar de carona com um amigo em um carro roubado. Acusação pela qual ela já havia cumprido pena.

Segundo a polícia, não há registros de novos casos na região, o que pode tranquilizar os pais. Ainda assim, é preciso ficar atento. Ao lado, confira dicas de segurança para evitar tragédias como esta.

Em respeito à vítima, seus pais e familiares, O Alvoradense não divulgou o nome da escola.

Pais devem ficar atentos com a segurança

Os cuidados com a segurança das crianças devem ser constantes e, ao contrário do que muitos pensam, de aumentar conforme a criança cresce. É primordial que os pais observem o comportamento dos filhos. Silêncios muito longos ou faltas de apetite podem ser sinais de que existe algo errado. Algumas dicas podem ser seguidas para preservar a segurança e evitar problemas com os pequenos:

• Orientar as crianças a não aceitar convites de estranhos e a comunicar a um adulto conhecido sempre que se sentir inseguro;
• Estar atento a quem são os funcionários da escola;
• Caso não puder ir buscar o filho na escola avise-o. Pode aparecer algum estranho se dizendo “a mando” dos pais;
• Comunique a escola se a criança tem autorização para ir para casa sozinha ou se alguém de fora da família for busca-la ao final da aula;
• Se perceber sinais de violência ou algum tipo de agressão entre em contato com a escola mesmo que a criança não dê importância, ela pode estar recebendo algum tipo de ameaça.
• Converse com seu filho. Não há nada melhor do que a confiança entre pais e filhos para evitar problemas maiores;

 

Fonte: O Alvoradense