O Produto Interno Bruto (PIB) de Alvorada continua crescendo acima da média do Estado e do País, mas o bom desempenho não é suficiente para retirar da cidade o segundo pior índice de PIB per capita do Rio Grande do Sul.

Pelo segundo ano consecutivo, o município se mantém na penúltima colocação do ranking que aponta o valor de toda a riqueza produzida na cidade dividido pelo número de habitantes, segundo aponta dados divulgados nesta terça-feira pela Fundação de Economia e Estatística (FEE) em conjunto com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 .
.

Os índices apontam um crescimento de 5,2% da economia alvoradense em 2011, ultrapassando a casa do R$ 1,5 trilhão. O valor bruto é o 28° maior do Estado.

A importância da economia alvoradense para a de todo o estado também cresceu, ainda que timidamente, elevando em 0,01% a participação do PIB de Alvorada no índice geral gaúcho. O PIB dos municípios é calculado em valores nominais, ou seja, incorpora, além da variação de volume, a variação de preços.

A divisão de toda essa riqueza, no entanto, é sofrível. O valor per capita alcançou pouco mais de R$ 7,8 mil naquele ano. A média dos municípios gaúchos é de R$ 24,5 mil, mais do que o triplo do índice de Alvorada. Mesmo tendo uma das maiores populações do estado, a cidade fica à frente apenas de Caraá, município próximo de Osório com menos de 7 mil habitantes.

Apesar da situação delicada, o crescimento médio da renda do alvoradense na última década é de R$ 587,69.

Estrutura do valor
Reforçando sua vocação econômica, a área de serviços ampliou sua participação do PIB municipal. Em 2011, 80,97% da riqueza produzida na cidade veio do setor, 1,99% a mais do que no ano anterior. A indústria encolheu de 20,88% para 18,92% no período e a agricultura apresentou importância ainda mais inexpressiva, saindo dos já minguados 0,14% para meros 0,11%.

Crescimento menor
No ano anterior o avanço do PIB da cidade estava na casa dos dois dígitos. Entre 2010 e 2011, no entanto, as economias brasileira e gaúcha cresceram menos do que nos anos anteriores, o que impactou no desempenho de Alvorada.

Entre os melhores desempenhos do Estado estão Coqueiro Baixo (69,9%), Boa Vista do Sul (58,6%), Nova Bréscia (56,1%), Santa Cecília do Sul (48,8%) e Faxinal do Soturno (47,5%). Já Canoas, Triunfo, São Gabriel, Esteio e Cachoeirinha foram os municípios que tiveram maior perda de participação no PIB do Rio Grande do Sul.

De forma geral o Estado apresentou, em termos de valores, um desempenho consideravelmente positivo, com o PIB crescendo 5,1%. Como principal destaque, o setor agropecuário, com crescimento de 18,7%. Já a indústria, cresceu 2,8% e o setor de serviços, 4,5%.

Em valores nominais (preços correntes), o PIB estadual evoluiu a uma taxa de 4,4%, com a agropecuária, a indústria e o setor serviços tendo crescido a taxas de 9,9%, -4,4% e 7,1% respectivamente. Sendo a agropecuária e os serviços apresentando um maior desempenho no ano, se considerados preço e volume (valores nominais).

Fonte
: O Alvoradense