Júlio Croda revelou notificações de casos suspeitos do coronavírus no Brasil | Foto: Ministério de Saúde / Twitter / Reprodução / CP

O Ministério da Saúde concedeu uma entrevista coletiva no final da manhã desta quinta-feira (23) para falar sobre o coronavírus, epidemia que matou 25 na China e que já registrou casos de pessoas infectadas em outros países, incluindo os Estados Unidos.

O secretário substituto de Vigilância em Saúde da pasta, Júlio Croda, relatou que o ministério recebeu notificação de um caso suspeito no Rio Grande do Sul. A infecção, no entanto, foi descartada. 

“Nós recebemos algumas notificações: a primeira recebida foi do Distrito Federal, em 18 de janeiro, que foi descartado pelos critérios da Organização Mundial de Saúde. Depois, recebemos notificações de Santa Catarina e Minas Gerais, em 21 de janeiro, desconsideradas pelo mesmo motivo. O Rio Grande do Sul também notificou um caso, mas também foi descartado”, disse Croda. 

O secretário substituto explicou que a pasta quer que os estados continuem relatando a existência de casos suspeitos, tudo para esclarecer a veracidade da infecção. “O Ministério da Saúde quer que os estados informem qualquer suspeição, até para que possamos esclarecer se são ou não de coronavírus. É salutar esta conversa com os estados para o esclarecimento dos fatos”, afirmou. 

Croda argumentou que o Brasil está preparado para diagnosticar a presença do vírus em solo brasileiro. “Nossa rede laboratorial está preparada para receber a amostra de um possível caso suspeito e dar os andamentos necessários para a realização do diagnóstico”, colocou. “A Anvisa tem os protocolos já estabelecidos em casos de pandemia e doenças importantes. É importante esclarecer que não há evidência para fazer triagem de temperatura em aeroportos”, acrescentou o secretário.