Ás 14h uma denúncia foi feita ao MP às 16h a OAB receberá as reivindicações do sindicato | Foto: Sima / Divulgação / OA
Ás 14h uma denúncia foi feita ao MP às 16h a OAB receberá as reivindicações do sindicato | Foto: Sima / Divulgação / OA

Desde o começo da manhã desta terça-feira (21) os servidores da Secretaria Municipal de Trabalho Assistência Social e Cidadania (STASC) estão paralisados em frente à prefeitura reivindicando melhores condições de trabalho nos abrigos de menores da cidade.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais (Sima), Rodnei Rosseto, a paralisação dos servidores veio em resposta á falta de diálogo com a administração municipal quanto ao caso.

Segundo ele, os servidores tentaram uma reunião com o prefeito Professor Serginho para expor a problemática dos abrigos e das más condições de abrigagem em que as casas se encontram, na semana passada, mas não tiveram resposta.

Rosseto afirma ainda que a administração municipal apenas informou o sindicato e os servidores da Stasc que o assunto não figurava entre as prioridades do momento. “A paralisação veio em resposta a essa intransigência do governo”, completou.

O presidente do sindicato define os abrigos, em sua atual situação como “depósitos de crianças”. Uma das casas que deveria comportar 12 jovens hoje tem 19, três deles são deficientes, e o abrigo conta apenas com um monitor por turno. O Ideal, segundo o sindicato, seria que cada turno de trabalho contasse com quatro monitores e dois monitores auxiliares.

Às 16h o sindicato vai encaminhar uma denúncia na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) quanto às violações de direitos humanos em que esses jovens se encontram na atual situação. Às 14h uma denúncia foi feita no Ministério Público (MP) sobre as péssimas condições de trabalho.

“Não estamos reivindicando nem aumento salarial no momento apenas as melhoras nas condições de trabalho dos nossos servidores”, completou Rosseto.

Fonte: O Alvoradense