Montanha de lixo impediu vazão da água na ponte da Nova Gleba | Foto: Jonathas Costa/OA
Montanha de lixo impediu vazão da água na ponte da Nova Gleba | Foto: Jonathas Costa/OA

Verdadeiras montanhas de lixo depositadas irregularmente nos leitos dos arroios que cortam Alvorada agravam a situação dos alagamentos ocorridos nesta segunda-feira (11) na cidade.

• FOTOS: Veja imagens do acúmulo de lixo na ponte da Nova Gleba

No Feijó, na altura da ponte da Nova Gleba, o lixo era tanto que a prefeitura teve que acionar um caminhão e uma retroescavadeira para retirar os entulhos e liberar o fluxo da água.

A força da água acumulada na ponte, que não conseguiu vencer a barreira formada pelo lixo, acabou rompendo uma barreira do arroio e inundou uma grande área de casas no bairro Rubem Berta, em Porto Alegre.

Situação semelhante ocorreu no Onze de Abril, na zona Leste da cidade. Moradores das casas mais próximas acabaram retirando manualmente os galhos e troncos de dentro do córrego. Em protesto, depositaram o lixo em cima da ponte, bloqueando a passagem de veículos.

Na avenida Zero Hora, no Jardim Algarve, a manhã não foi diferente. Em todas as pontes que passam sobre o arroio havia lixo acumulado.

Acúmulo de lixo acabou rompendo arroio e alagando casas no Rubem Berta, em Porto Alegre | Foto: Jonathas Costa/OA
Acúmulo de lixo acabou rompendo arroio e alagando casas no Rubem Berta, em Porto Alegre | Foto: Jonathas Costa/OA

Fonte: O Alvoradense