Desde a madrugada desta segunda-feira o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em conjunto com a Procuradoria de Prefeitos e com apoio da Brigada Militar, cumpre 29 mandados de busca e apreensão em seis cidades gaúchas, um deles em Alvorada. Segundo informações preliminares, o alvo do mandado seria uma empresa da cidade. O Ministério Público, no entanto, ainda não divulgou mais detalhes da operação, que foi batizada de Guarujá.

Estão sendo investigados o desvio de mais de R$ 3 milhões dos cofres públicos de Parobé. Deste montante, aproximadamente 40% dos valores são referentes a contratos relativos à coleta, transporte e destinação final de lixo. Além de Alvorada, os demais mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Prefeitura de Parobé, além de residências e sedes de cinco empresas nas cidades de Taquara, Torres, Santo Antônio da Patrulha e Porto Alegre.

Entenda o caso

Em novembro de 2011, o Promotor de Justiça de Parobé, Fernando Cesar Sgarbossa, iniciou investigações sobre o não cumprimento dos contratos. Por ser identificado envolvimento da Prefeita de Parobé, as análises passaram a ser feitas pela Procuradoria de Prefeitos. Os crimes investigados são lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, crime licitatório, concussão, bem como corrupção ativa e passiva, além de crime de responsabilidade por parte da Chefe do Executivo Municipal.

As investigações seguem em segredo de justiça. Por este motivo ainda não foram divulgados os nomes das empresas envolvidas.

Fonte: O Alvoradense