Jussara Mendes concorre em chapa pura pelo PSD | Foto: Mariú Delanhese / OA

O Ministério Público de Alvorada ajuizou ação pedindo a impugnação da candidatura de Jussara Mendes (PSD) à prefeitura de Alvorada e de Gerson Luís (PTB) à Câmara de Vereadores. O pedido foi realizado na sexta-feira da semana passada (19), mas a informação foi confirmada pelo MP na tarde desta sexta-feira (26).

A ação é assinada pela promotora de Justiça Rochelle Jelinek e tem como base a Lei da Ficha Limpa.

Segundo o Cartório Eleitoral de Alvorada, responsável pelo julgamento dos pedidos de impugnações, os dois candidatos foram notificados e possuem sete dias, a contar a data de intimação, para apresentar defesa.

Jussara Mendes foi entrevista ao vivo pelo jornal O Alvoradense na manhã desta sexta-feira, antes da divulgação do pedido de impugnação. O partido divulgou nota nesta segunda-feira (29) informando que a ação “constitui violação dos princípios da Presunção de Inocência e do Duplo Grau de Jurisdição” e que a candidata apresentará recurso junto à Justiça Eleitoral de Alvorada, visto que, ainda segundo a nota, o processo não transitou em julgado. O texto encerra dizendo que Jussara Mendes “participará do Pleito Eleitoral e que defenderá seu plano de governo para a mudança da cidade de Alvorada, que hoje encontra-se no maior caos econômico, político e social como nunca antes visto.”

Já Gerson Luís concorre pela quarta vez a uma vaga no Legislativo. Ele é o atual presidente da Câmara, cargo que já ocupou em 2015 e 2012. Procurado, o candidato informou que seu advogado deve apresentar sua defesa na tarde deste sábado (27). “O processo que a promotoria faz referência está suspenso no Tribunal de Justiça aguardando decisão do STF de um tema nacional sobre improbidade administrativa dos gestores públicos, por este motivo não poderão impugnar a minha candidatura. Não tenho condenação em trânsito julgado”, explicou Gerson.

As candidaturas de Appolo (PMDB), Nadir Machado (PTB), Giovana Thiago (PT) e Marconi Olguins (PSDB) também foram notificadas. Os motivos variam, mas todos são oriundos de problemas na documentação apresentada durante o pedido de registro, como comprovantes  e negativas expedidas pela Justiça. Todos ainda estão com prazo em aberto para realizar as correções necessárias.

Fonte: O Alvoradense