Foto: Divulgação / OA

Seguimos o especial de entrevistas com os presidentes municipais dos partidos em Alvorada. Hoje O Alvoradense entrevista Giselda Azambuja, presidente municipal do PDT, partido que faz coligação com PT e PC do B, e tem Tiano Caduri como pré-candidato a vice-prefeito, em candidatura com Stela Farias do PT.

Como o atual cenário político da cidade impactou ou impacta na escolha do candidato?

Giselda Azambuja: O cenário político na cidade sempre tem influência direta na escolha do perfil do candidato e das coligações. Alvorada precisa muito de uma resposta arrojada, criativa e com a experiência de quem já enfrentou cenários muito ruins e fez grandes realizações, vencendo as dificuldades.

Como está a mobilização interna do partido pela escolha do candidato? O candidato já foi escolhido? Quais os apoios (partidos) desta pré-candidatura?

Giselda Azambuja: O PDT está muito mobilizado, escolhemos um jovem preparado e muito comprometido com a nossa Cidade que tem a sua raiz na ideia mais profunda do Trabalhismo e do Brizolismo, Tiano Caduri. Entendemos que a sua capacidade e juventude, com experiência política e administrativa, representa a metade ideal para compor com Stela Farias única mulher concorrendo, que vai cuidar da nossa cidade com aquele olhar que só uma mulher pode ter, com carinho e amor sem perder a autoridade de uma Mãe! Uma dupla ideal para liderar a cidade nos desafios bastante graves que o município enfrentará. Estão conosco o PCdoB e o PT, além de muitas lideranças descontentes com os rumos de suas agremiações políticas. Buscamos uma ampla coalizão para recolocar Alvorada no rumo de um desenvolvimento econômico, e para isso entendemos que as lideranças da Stela e Tiano são as mais capacitadas e capazes de dialogar com toda a cidade.

Qual o impacto que a mudança das datas referentes à eleição terá no processo de Convenção e de campanha para seu partido?

Giselda Azambuja: As transferências das datas foi uma necessidade aos novos tempos, cabe a nós dirigentes realizar a adaptação o mais rápido possível e garantir os instrumentos democráticos para todos os nossos filiados. A vida deve vir em primeiro lugar sempre!

O partido trará um candidato com quais qualidades? Qual é a aposta do partido com seu candidato? A preferência do partido nessa eleição será por um candidato “novo” ou um mais experiente?

Giselda Azambuja: O cenário de extrema dificuldade por que passa o município exige que sejamos liderados por alguém que tenha exatamente ambas as qualidades, experiência e novas ideias da Juventude. Entendemos que agregar a juventude de Tiano com a experiência de quem sabe fazer, porque já fez, de Stela Farias, é o único caminho para mobilizar a sociedade por um resgate dos serviços públicos com qualidade, uma infraestrutura capaz de garantir o desenvolvimento da cidade, garantir a dignidade das pessoas e famílias e oferecer novos rumos a partir de um conhecimento profundo de Alvorada estando inserido nas transformações pelas quais a humanidade está passando.

Como a pandemia vai influenciar no processo de campanha, no sentido da impossibilidade de aglomerações e contato direto com os eleitores?

Giselda Azambuja: É preciso se reinventar. Usar amplamente os recursos tecnológicos disponíveis e jamais se descuidar das precauções sanitárias como a higiene constante, uso de máscaras e distanciamento seguro. Por óbvio resultará em mais trabalho, pois não há como mudar a nossa natureza social. De forma que encontros seguros acontecerão, dentro das normas sanitárias que as autoridades médicas orientam.

Qual o impacto que o atual cenário político nacional terá em Alvorada e no que se refere ao seu partido? Seguirá a linha da política nacional?

Giselda Azambuja: Alvorada é um dos Municípios mais prejudicados com a atual política do governo federal. Gostaríamos muito de receber boas notícias de Brasília, pois lá está a maior parte dos recursos da nação. Entretanto o que vemos é um abandono ao pobre, ao aposentado, ao ensino de qualidade, ao médio, pequeno e micro empreendedor, um descaso com a saúde e uma instabilidade política constante em razão das rotineiras afrontas às instituições democráticas. Os números do País só têm piorado, e Alvorada precisa muito de um Governo Federal capaz de atender as necessidades das políticas públicas urgentes na nossa cidade. Mas se a nossa aposta for a da maioria, vamos dialogar com o Governo Federal e Estadual, independente de quem seja, pois vamos defender os interesses da cidade.

O partido tem buscado aliados para a composição de chapa para as eleições 2020? Qual o contexto que você poderia relacionar?

Giselda Azambuja: Consideramos aliados todos aqueles que têm vontade de realmente trabalhar com seriedade por Alvorada. Queremos realizar uma grande gestão em favor dos mais pobres e vulneráveis, sem jamais esquecer os empreendedores e a geração de renda. Nesta linha buscamos a amplitude e a representatividade de todos os segmentos da nossa comunidade. Sim, buscamos aliados comprometidos em restabelecer melhores condições de vida para todos, e estamos recebendo muito apoio, um cenário de construção que devolva Alvorada para a sua população.