Servidores se concentram desde às 8h em frente à Prefeitura | Foto: Sima / Divulgação / OA

Os números sobre a paralisação deflagrada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada (Sima) nesta sexta-feira são motivo de divergência entre os sindicalistas e a Prefeitura.

Para o Sima, a paralisação atinge 85% do funcionalismo municipal. Segundo eles, pelo menos 600 servidores assinaram o ponto de paralisação.

Na parte da manhã 25 escolas teriam fechado as portas, segundo o sindicato. Apenas a E.M.E.F. Monteiro Lobato e a E.M.E.F. Aparício Borges funcionaram, garante. A prefeitura, no entanto, afirma que apenas 12 escolas foram atingidas pela paralisação. Outras nove funcionam parcialmente e seis estão operando normalmente.

Já na área da saúde para o Sima a adesão foi total, paralisando as atividades das 16 Unidades Básicas de Saúde (UBS). De acordo com o presidente do sindicato, Rodinei Rosseto, o atendimento de 20% para a população foi assegurado. Nos cálculos da prefeitura o cenário é bem diferente. A Coordenadoria de Comunicação Social garante que nenhuma UBS está paralisada.

As secretarias de Obras e Viação (Smov), Planejamento Urbanístico e Habitação (SPH) e os centros de atendimento também tiveram 100% de paralisação, na ótica do Sima. Na prefeitura apenas 40% dos funcionários estariam atendendo ao público.

Segundo o sindicato, os alunos dos turnos da tarde e noite também não terão aulas hoje.

Segundo sindicato, 600 servidores cruzaram os braços nesta sexta-feira | Foto: Sima / Divulgação / OA

Segundo sindicato, 600 servidores cruzaram os braços nesta sexta-feira | Foto: Sima / Divulgação / OA

Fonte: O Alvoradense