Ministério Público faz batidas em oito municipios da região | Foto: Paulo Gilherme Alves / MP-RS / Divulgação / OA
Ministério Público faz batidas em oito municipios da região | Foto: Paulo Gilherme Alves / MP-RS / Divulgação / OA

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP) realizou na manhã desta sexta-feira (14) mais uma Operação Compensado contra a adulteração de leite. São cumpridos mandados de busca e apreensão em oito municípios da Região Noroeste do Estado.

Em Condor, próximo a Panambi, o MP, com apoio da Polícia Civil e da Brigada Militar, encontrou soda cáustica em um posto de resfriamento localizado na BR 154. O dono do estabelecimento foi detido. Em fevereiro foram recolhidas amostras de 53 tambores de leite, 12 delas continham formal.

O posto de resfriamento já havia sido flagrado em uma das três primeiras etapas da Operação Leite Compensado. Para tentar fugir da fiscalização no Rio Grande do Sul, o posto passou a comercializar o leite com outros Estados, principalmente Paraná e São Paulo. Caminhões estão sendo revistado pelo MP, que visa apurar os detalhes da adulteração.

As marcas Parmalat, Líder e Glória estão entre as envolvidas na quarta fase da operação. Lotes adulterados destas três marcas foram encontrados em supermercados de São Paulo e do Paraná. Os números lotes ainda não foram divulgados pelo MP.

As  marcas são da empresa LBR, que também teve a marca Bom Gosto envolvida em fraudes anteriores. A LBR, inclusive, se negou a fazer o recall dos produtos, que seguem no mercado para os consumidores

Amostras com formal
A quarta fase da Leite Compensado iniciou no mês de fevereiro quando o MP recebeu documentação do Ministério da Agricultura noticiando que 12 amostras de leite cru, coletadas no posto de resfriamento de Condor apresentaram a presença de formaldeídos (formol). Conforme o órgão federal, parte deste leite impróprio foi entregue a uma empresa de laticínios, que colocou o produto à venda no mercado. O leite adulterado foi identificado. Ele estava sendo comercializado em Guaratinguetá (SP) e Lobato (PR).

As 12 amostras incluíram leites de rotas de produtores, do silo de resfriamento e de rotas de expedição da referida empresa de laticínios. A investigação rastreou e identificou os responsáveis por esses produtos, os quais foram objeto dos mandados de busca e apreensão cumpridos nesta sexta.

Fonte: Correio do Povo