Vereador criticou nota da Coordenadoria de Comunicação Social da Prefeitura| Foto: Jonathas Costa / Arquivo OA

Após divulgação, pelo jornal O Alvoradense na tarde desta segunda-feira (2), de que a Prefeitura de Alvorada perdeu uma verba de R$ 392 mil destinada à implementação do projeto Escola de Cinema na cidade, o vereador petista Juliano Marinho emitiu nota contestando informações repassadas pela Coordenadoria de Comunicação Social (CSS).

Segundo o vereador, que junto com o então deputado federal Paulo Ferreira (PT) foi um dos articuladores da verba do Ministério da Cultura, as declarações do órgão ao jornal foram “mentirosas e levianas”.

A nota enviada pelo governo informava que foram tomadas três iniciativas para tentar reverter a situação: tentar saldar a dívida – o que não ocorreu por falta de dinheiro -, uma ação judicial que impedisse o bloqueio do repasse – negada pela Justiça -, e, por fim, “informar os agentes políticos da situação para que procurassem uma alternativa”.

Para Marinho, contudo, a administração nunca tratou o tema com prioridade. “Sequer foram capazes de ir até Brasília para tratar deste assunto, deixando para última hora a assinatura do convenio, quando já estava impossibilitada de receber os recursos do governo federal por inadimplência”, explica.

O vereador também argumentou que desde o início do projeto da Escola de Cinema os professores responsáveis não receberam qualquer tipo de auxílio. “A administração não ajudou em praticamente nada, deixando a responsabilidade da construção e cadastro do projeto aos professores André e Adailton”, defende.

Marinho ainda revela que o governo também perdeu outras duas emendas parlamentares articuladas junto ao deputado Ferreira. “Outras verbas, como o R$ 1,6 milhão que foram destinados para a construção de mais um CEU das Artes na cidade também foi perdido, e outros R$ 700 mil destinados para pavimentação, até agora não foram concretizados pela atual gestão”, afirma.

A nota encerra tecendo críticas ao modelo de comunicação da prefeitura que, segundo o vereador que chegou a ser líder do governo na Câmara, limita-se “a transferência de responsabilidade para encobrir a incompetência de alguns dos seus agentes políticos, e apostando sempre numa política de conflitos”.

Confira a nota na íntegra:

O vereador Juliano Marinho vem a publico afirmar que a declaração do Coordenador da CCS, senhor Charles Scholl é mentirosa e leviana. A prefeitura perdeu o recurso para o Clube das 5 por incompetência de gestão e opções políticas, não priorizando o recurso que havia sido conquistado por mim e pelo então Deputado Paulo Ferreira.

Como bem fala a referida matéria, o professor André Bozzeti me procurou ainda em 2014, quando levei adiante a ideia de Alvorada ter uma Escola púbica de Cinema. O Deputado Paulo Ferreira, atendendo a um pedido meu, destinou um recurso de R$ 400.000,00 mil para que o projeto saísse do papel.

Em Junho de 2015, convidei o Professor André Bozzeti e o professor Adailton Moreira para uma reunião, com a representante do Ministério da Cultura em Porto Alegre, Margarete Moraes, para pedirmos celeridade no processo, onde foram apresentados apontamentos para a prefeitura resolver, o que levou meses para ser solucionado. O descaso com o projeto se deu desde o início, onde a administração não ajudou em praticamente nada, deixando a responsabilidade da construção e cadastro do projeto aos professores André e Adailton.

Fiz todos os movimentos possíveis para que a cidade não perdesse o recurso, mas a administração nunca tratou o assunto com prioridade e sequer foram capazes de ir até Brasília para tratar deste assunto, deixando para ultima hora a assinatura do convenio, quando já estava impossibilitada de receber os recursos do governo federal por inadimplência.

Perder a Escola de Cinema foi apenas um dos valores que a Prefeitura abriu mão, outras verbas, como os R$ 1,6 milhões que foram destinados para a construção de mais um CEU das Artes na cidade também foram perdidos, e outros R$ 700 mil que foram destinados para pavimentação, até agora não foram concretizados pela atual gestão.

A nota enviada pela Prefeitura, por meio da CCS, demonstra uma postura que vem sendo rotineira desde que Charles Scholl assumiu como coordenador da Comunicação Social da prefeitura, que é a de transferência de responsabilidade para encobrir a incompetência de alguns dos seus agentes políticos, e apostando sempre numa política de conflitos.

                                                                       Vereador Juliano Marinho

Fonte: O Alvoradense