Agricultura impulsionou alta, com elevação de 111,7% no período | Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini/OA
Agricultura impulsionou alta, com elevação de 111,7% no período | Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini/OA

O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul cresceu 15% no segundo trimestre de 2013 na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, anunciou a Fundação de Economia e Estatística (FEE) nesta quarta-feira (11).

A taxa foi impulsionada pelo crescimento de 111,7% da Agropecuária, em função do aumento nas produções de soja (114,6%) e de milho (69,6%).

Mais cedo, o governador do Estado, Tarso Genro, comemorou os números, através de uma mensagem publicada no Twitter. “O crescimento foi ‘chinês’, como dizem os economistas”, escreveu o petista em sua conta pessoal no microblog.

O secretário do Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, João Motta, destacou a importância do setor primário e da indústria gaúcha e da necessidade de ampliar os investimentos “para devolver ao Rio Grande do Sul posição de destaque”, sintetizou durante a entrevista coletiva que divulgou os dados.

O setor secundário do Estado expandiu-se 3,9%. A Indústria de Transformação cresceu 4,6%, com destaque para as atividades de Máquinas e Equipamentos (11,5%), Borracha e Plástico (15,2%), Bebidas (20,6%) e Veículos Automotores (13,8%). Já a Construção Civil aumentou 4,0%, e as Demais Indústrias caíram 0,3%.

O ramo dos Serviços cresceu 3,4%, com alta de todas atividades. O Comércio teve acréscimo de 2,5%, com os principais impulsos vindos das vendas de dquipamentos de informática, materiais de construção e de combustíveis. A atividade de Transportes aumentou 8,5%, incentivada pelas demandas da Agropecuária e da Indústria de transformação. Aluguéis cresceram 2,8%, Administração pública, 3,3%, e os Demais serviços, 2,9%.

No primeiro trimestre do ano, o crescimento do PIB gaúcho foi de 2,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, na série com ajuste sazonal. Mas se comparar apenas os números de 2013, houve alta de 6,4% no segundo trimestre em relação a taxa de 1,3% do primeiro trimestre. As informações são do Correio do Povo.

Fonte: O Alvoradense