Foto: Polícia Civil / Divulgação / OA

Na manhã de segunda-feira (10), a Polícia Civil deflagrou a Operação Conexão 2018 com cumprimento a mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão nos municípios de Alvorada, Cachoeirinha e Gravataí.

O objetivo foi identificar o grupo criminoso responsável pelo homicídio consumado de dois homens e pelo homicídio tentado de outros três, ocorridos em 18 de abril de 2018, na avenida Sertório, em Porto Alegre, quando as vítimas deixavam a Boate DuFont e foram interceptadas e alvejadas por disparos de arma de fogo.

Conforme investigação, no interior da casa noturna o alvo principal da ação era monitorado por integrantes da quadrilha, sendo um deles, de atuação decisiva, o gerente do estabelecimento.

Na ocasião, imagens do veículo em que estava uma das vítimas e suas vestes eram repassadas em tempo real aos que aguardavam o momento em que executaria o atentado.

A motivação para o crime parece ser a rivalidade entre grupos sobre o domínio pelo tráfico na região metropolitana, e que, algumas semanas antes, uma briga no trânsito acirrou rixa e levou à decisão pelo atentado.

Todos os integrantes diretamente relacionados ao homicídio, no total de nove, foram identificados e tiveram suas prisões preventivas decretadas, já tendo sido capturadas seis pessoas.

A investigação, que, até então, estava a cargo da 2ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP) da Capital, acabou se cruzando com diligências de outro departamento, o DEIC, cuja a Delegacia de Roubos já mirava o grupo pelo roubo a uma empresa de segurança, sediada em Porto Alegre, naquele mesmo ano. O grupo ainda é investigado por tráfico de entorpecentes e associação ao tráfico.

Nos locais de busca foram apreendidos, aproximadamente R$ 28.000,00, uma pequena quantidade de drogas, anotações da contabilidade da venda de entorpecentes, relógios, um veículo, além de uma dupla de saguis que estavam sendo mantidos em cativeiro, que foram encaminhados ao Ibama.