Foto: Polícia Civil / Divulgação / OA

Na manhã desta segunda-feira (20) policiais da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes de Roubo de Veículos, DRV/DEIC, coordenados pelos delegados Rafael Liedtke e Marco Guns, deram início à operação para prisão de assaltantes de veículos que agem na Capital e Região Metropolitana.

Foram cumpridas 10 ordens judiciais, entre prisões e buscas em Alvorada, Eldorado Sul e Porto Alegre. Participam da ação 35 policiais civis das especializadas do DEIC.

No bairro Formoza, foi preso um assaltante de veículos de 19 anos, com antecedentes por associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, receptação, homicídio doloso, tráfico de drogas, roubo a pedestre e roubo a estabelecimento comercial. Contra ele havia mandados de busca e apreensão e de prisão temporária.

Na capital foi preso outro acusado de 19 anos, com registros por roubo de veículo, receptação 2x, tráfico de drogas, posse de entorpecente e ameaça.

O principal alvo da operação, localizado em Eldorado do Sul, tem 24 anos e com diversas passagens policiais por receptação, adulteração de veículos, uso de documento falso, lesão corporal, ameaça, injúria e exercício ilegal da profissão. Ele é suspeito do roubo do veículo de um Coronel reformado da Brigada Militar, de 81 anos, ocorrido no bairro Floresta, na Capital, no final de maio, tendo agredido a vítima com coronhadas.

As investigações iniciaram há mais de quatro meses e todos os presos foram reconhecidos pelas vítimas através de fotografias.

Conforme os delegados Liedtke e Guns, os criminosos agem, na maioria das vezes, em duplas e se aproveitavam de um momento de distração das vítimas para executar o roubo do veículo, sempre armados. Em seguida os veículos tinham seus sinais adulterados e, em alguns casos, acabam sendo repassados a Santa Catarina, onde são revendidos como originais.

Os presos foram conduzidos à sede da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes de Roubo de Veículos do DEIC, para os procedimentos legais de praxe, em especial o reconhecimento pessoal por parte das vítimas.

Cabe enfatizar que o Pacote Anticrime classifica o roubo de veículo com emprego de arma de fogo como crime hediondo, sendo maior a punição e responsabilização penal, com pena máxima de até 16 anos de reclusão.

Foto: Polícia Civil / Divulgação / OA