População está preocupada com a falta de medicamentos

Desde abril a procura por antibióticos acontece em diversos estados brasileiros

172
Foto: Reprodução / OA

A ausência de antibióticos e outros medicamentos nas farmácias preocupa profissionais da Saúde e pacientes em várias regiões do Brasil. Desde abril, farmácias e hospitais têm destacado a falta de medicamento para tratamento de doenças respiratórias, entre outros.

De acordo com a Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), cerca de 95% dos medicamentos no Brasil precisam de matéria-prima vinda principalmente da China, que teve as exportações afetadas por mais um lockdown causado pela Covid-19.

Também a guerra entre a Rússia e a Ucrânia, que prejudica a logística de distribuição de insumos, e a alta demanda por medicamentos nesta época do ano são alguns dos motivos para o vazio nas prateleiras.

Ainda de acordo com a Abrafarma, além da dificuldade do insumo chegar ao Brasil, as indústrias passaram a se dedicar à produção de medicamentos que já estavam em falta. Uma vez ocupadas com a linha de produção para produtos definidos, outros medicamentos passam a não ser produzidos.

Alerta

O Ministério da Saúde alerta para a queda nas temperaturas e a diminuição da umidade do ar, que possibilitam o aumento de infecções respiratórias. Infecções comuns nesse período de frio são gripes, sinusite e resfriados, que podem se agravar a outras condições como rinite alérgica, asma, bronquite e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Como medida de prevenção, o Ministério orienta as pessoas a se vacinarem contra a gripe. Além do imunizante, outras medidas podem prevenir as doenças que causam infecções respiratórias, entre elas beber muita água e evitar ambientes fechados e sem ventilação. Estão ainda entre as orientações praticar atividade física; higienizar as mãos; proteger a boca ao tossir e ter alimentação saudável e balanceada.