Lisiane Severo depende de sonda para procedimento diário | Foto: Jonathas Costa / OA

A ausência de material nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), denunciadas pelos servidores durante a paralisação de dois dias ocorrida semana passada, não atinge apenas profissionais da saúde, mas e, principalmente, pacientes. De acordo com médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares, faltam luvas, gaze, papel toalha… além de medicamentos. A Prefeitura, por outro lado, afirma que há material disponível na Secretaria Municipal de Saúde.

Uma alvoradense que sofre com a situação é Lisiane Trindade Severo, 28 anos, moradora do Jardim Aparecida. Ela passou por uma cesariana e teve a bexiga cortada e reconstituída, mas precisa fazer sondagem quatro vezes ao dia. Contudo, há mais de 15 dias, não consegue o material para o procedimento na UBS. “Posso fazer o procedimento em casa, e costumava pegar o material no posto”, explica. Ela confirma que, nos últimos dias, o problema se agravou: “faltam todos os materiais, como luvas, gaze e xilocaina. A sonda, quando falta, pode ser substituída. E o prédio está em más condições, inclusive com rachaduras no banheiro”.

Lisiane aguarda, ainda, o encaminhamento de uma cirurgia para retirar pedra na bexiga e tem pela frente a luta por uma cirurgia de hérnia, que tem desde dezembro de 2014. A consulta, só conseguiu marcar para março de 2015, quando recebeu a indicação de cirurgia. Não há previsão para conseguir o encaminhamento e chegaram a estimar em 20 anos a espera.

SMS

Em nota, a Secretaria da Saúde de Alvorada informa que luvas, gaze e sondas estão disponíveis. “A possível falta de material relatada pelos servidores pode ter ocorrido em virtude da coordenação das Unidades Básicas de Saúde não ter solicitado a reposição”.

Quanto à falta de papel toalha, confirma que houve descontinuidade no serviço e que “já foram tomadas as medidas necessárias para restabelecer o fornecimento do item”.

Fonte: O Alvoradense