Cerimônia de entrega das ambulâncias ocorreu em Porto Alegre | Foto: Governo do Estado/Divulragação/OA
Serviço de ambulâncias tem reclamações da população | Foto: Governo do Estado / Divulgação / Arquivo OA

Apesar de Alvorada estar cumprindo o que preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS) de uma ambulância para cada 150 mil habitantes, o serviço é considerado deficitário pela população, principalmente em situações de urgência.

São muitas as situações em que socorro demora a chegar, dando uma sensação de que o sistema está é deficitário. Contudo, conforme a secretária municipal de Saúde, Mari de Bortoli, a situação evoluiu nos últimos anos, com a conquista, em parceria com Viamão, de uma ambulância de Suporte Avançado de Vida, que possui todos os equipamentos dos veículos tradicionais e mais materiais e medicamentos com monitor e desfibrilador cardíaco, respirador e material para intubação.

• ASSINE: Receba a edição impressa do jornal O Alvoradense em casa

Trata-se de uma UTI móvel que conta com uma equipe formada por condutor, enfermeiro e médico. O acordo foi necessário porque esse tipo de equipamento é entregue a populações maiores de 400 mil habitantes. Além desse veículo, há uma ambulância de Suporte Básico de Vida, que também foi conquistada em 2013, além de uma reserva.

Leilão
Quem passa pelo prédio do PAM 8 pode observar três veículos parados no pátio. Rodrigo Dipp, responsável pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), esclarece que são as antigas da secretaria e pertencentes ao Governo do Estado. Os veículos devem ir a leilão, cuja renda será revertida para a manutenção dos veículos da Saúde.

Apoio
A Secretaria da Saúde conta ainda com o apoio do Serviço de Atendimento Voluntário em Emergência (Save) que atua principalmente nos finais de semana. As ambulâncias da Life, empresa privada, também fazem parte de um convênio firmado para casos específicos de remoções.

Fonte: O Alvoradense