Edição do Alvorecer de Natal não vai ocorrer neste ano, pela primeira vez em 16 anos | Foto: CCS/Divulgação/OA

A prefeitura contestou no inicio da noite desta sexta-feira (22) a versão divulgada pela Associação Comercial e Industrial de Alvorada (Acial) para o cancelamento da edição de 2013 do programa Alvorecer de Natal.

Segundo a Coordenadoria de Comunicação Social (CSS) do governo municipal, houve desinteresse da entidade econômica em realizar o evento, que há 16 anos patrocina a decoração natalina da avenida Presidente Getúlio Vargas.

“Até a reunião que ocorreu no mês passado estava tudo certo para o evento acontecer. Chagamos a noticiar o encontro”, comentou Charles Scholl, jornalista responsável pela CCS. Segundo ele, a prefeitura não foi oficialmente informada sobre a decisão da Acial. “Estamos sabendo desta nota através da imprensa”, revelou.

No texto divulgado pela associação, o evento foi cancelado por “falta de tempo hábil para a captação de recursos e assinatura de convênio com a Prefeitura de Alvorada”. Para Scholl, a versão “não confere com a verdade”. “Estamos em contato com a entidade durante todo o ano”, rebate o jornalista.

Ainda segundo a CCS, a Acial disponibilizou os materiais utilizados nos anos anteriores para reaproveitamento na decoração deste ano, bancada, neste caso, exclusivamente pela prefeitura. “Vamos trabalhar com o que dispomos. Faremos uma iluminação na prefeitura e vamos promover atividades sociais. [O desinteresse da Acial] não impede que criemos alternativas”, avalia Scholl.

Retaliação
Desde o início do ano a entidade vem discordando publicamente de algumas das políticas adotadas pelo governo municipal.

No ano passado, a prefeitura foi autuada pela Promotoria de Justiça, com base no código de condutas dos municípios, quanto a desobstrução dos passeios públicos. Desde então, intensificou a fiscalização para a desobstrução da Getúlio Vargas.

Em junho deste ano, após determinação da promotoria local e devido à falta de legislação atualizada sobre o uso dos passeios públicos, os comerciantes de Alvorada foram proibidos de destinar seus recuos para o estacionamento de clientes e exposição de mercadorias.

De acordo com a Acial, a medida reduziu o volume de vendas e causa transtornos aos comerciantes, inclusive àqueles que construíram suas lojas com recuos suficientes para o estacionamento oblíquo. Uma audiência pública para debater medidas que possibilitem a alteração da legislação municipal ocorreu em outubro.

“Se for retaliação, adotaram a atitude equivocada”, avalia Scholl. “A proposta [para realizar o Alvorecer de Natal] vem deles. O que motivou o desinteresse? Não sabemos”, encerra.

Fonte: O Alvoradense