Vereador Gerson Luis, presidente da Câmara Municipal / Foto: Câmara de Vereadores / Divulgação / OA

Ao usar a Tribuna na noite desta terça-feira (22), durante sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Alvorada, o presidente Gerson Luis fez uma ferrenha defesa ao colega Vanio Presa, que teve mandado de prisão preventiva decretado no início de novembro e é considerado foragido pela Justiça, alvo da Operação Alderman.

Ele iniciou afirmando que Presa não é traficante e sim mais uma vítima da promotora Rochelle Jelinek, “que vem perseguindo a classe política de Alvorada, o Legislativo e o Executivo há muitos anos. Há muita injustiça sendo cometida. Não há provas”, afirmou. Como exemplo ele citou a Operação Cartola, que após um longo período de investigações acabou por considerar o ex-prefeito João Carlos Brum inocente, por falta de provas.

“Homem que é sério tem medo de cadeia”, disse ele justificando a condição de foragido do colega vereador, dizendo ainda que “Vanio é chefe de família, e não chefe de quadrilha”.

Gerson alertou, ainda, para o fato de que a eleição pode ser cancelada em Alvorada, caso se comprove o uso de dinheiro ilícito na campanha, “o que é uma inverdade e um grande prejuízo para a cidade”.

“Temos que parar com as fofocas na cidade, porque o MP tem se baseado em denúncias de fofoqueiros como Quinho Caduri. É ele o delator da promotora Rochelle e tenho cópia de mensagens dele para ela”, disse o presidente.

Ainda sobre ligações, ele admitiu que recebeu telefonema de Vanio Presa, onde o vereador relata a compra de uma cobertura em Capão da Canoa, no valor de um milhão de reais. “Mas era uma brincadeira dele”, disse. Falou ainda que é normal que vereadores e outros políticos comprem bens e imóveis em nome de terceiros “porque está judicializado, não podemos colocar um carro no nome porque o Poder Judiciário nos toma, bloqueia em qualquer tipo de processo”, disse.

Considerando que a Câmara de Vereadores está sendo desrespeitada pelo Ministério Público de Alvorada, o presidente da Casa Legislativa afirmou que vai apresentar moção pedindo crime de responsabilidade contra a promotora Rochele por injúria e difamação.

Crítica
Ao se referir à possível impugnação de sua candidatura, Gerson Luis mencionou o jornal O Alvoradense como um “veículo maldoso e mal informado que não pode ser jornalista”.

O motivo foi notícia publicada em 18 de novembro, quando o Tribunal Superior Eleitoral negou recurso e manteve a impugnação de Gerson Luís, que ele afirma ser falsa.

“Várias pessoas me ligaram sobre a matéria, lamentando que não vou assumir em janeiro e sim o suplente. Isso não é verdade”, reiterou o presidente da Câmara de Vereadores de Alvorada.

A informação do processo, divulgada pelo jornal, é do Tribunal Superior Eleitoral e pode ser lida aqui. Já sobre a posse do suplente pode ser conferida no Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul, neste link.

Confira a fala do vereador Gerson Luis, na íntegra, em vídeo gravado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada (Sima):

Fonte: O Alvoradense