O Procon do Rio Grande do Sul esclareceu nesta tarde os critérios para a troca de caixas de leite, após a divulgação do Ministério Público do esquema de adulteração do produto com ureia e formol.

Em nota a entidade informou que o consumidor poderá solicitar a troca diretamente nos locais onde comprou o leite.

A apresentação de nota fiscal não é obrigatória já que, segundo o Procon, o prejuízo não deve ser repassado ao consumidor.

“Orientamos que os estabelecimentos comerciais façam a troca do produto mesmo sem a nota fiscal, uma vez que os órgãos que atuam juntos na defesa do consumidor já tomaram as devidas iniciativas”, diz o texto.

A troca, no entanto, é obrigatória apenas nos casos onde houver a confirmação dos lotes definidos pelo Ministério da Agricultura como adulterados.

• Fique atento: Confira a lista dos produtos infectados 
• Fora das prateleiras: Supermercados de Alvorada recolhem produtos

“Os demais produtos são considerados aptos para o consumo humano”, esclarece a assessoria do órgão.

O Procon solicitou, ainda, que os órgãos municipais de fiscalização criem mecanismos para garantir o descarte correto dos leites infectados.

Fonte: O Alvoradense