Profissionais da área da saúde de Alvorada foram convidados a participar IV Mostra Nacional de Experiências em Atenção Básica/Saúde da Família, que acontece entre os dias 12 e 15 de março em Brasilia.

O encontro é um dispositivo de incentivo à reflaxão sobre as práticas de saúde e valorização dos profissionais das equipes que atuam na Rede de Atenção Básica: equipes de Saúde da Família; equipes de Atenção Básica; Núcleos de Apoio à Saúde da Família; Atenção Domiciliar, entre outras.

Experiências de Alvorada em saúde mental foram consideradas positivas e serão mostradas como modelos à profissionais de todo o País. São esperados cerca de 10 mil participantes entre trabalhadores, gestores e usuários da Atenção Básica de todo o Brasil.

A técnica de enfermagem Cintia Pereira dos Santos abordará o tema “Unindo saberes e trocando experiências com a prática da Terapia Comunitária Integrativa (TCI)”. Ela falará do projeto pioneiro e da criação, em 2013, dos primeiros três grupos de TCI em bairros que apresentam vulnerabilidade social como Umbu, Intersul e Cedro.

A Terapia Comunitária é um importante instrumento na prevenção e acompanhamento dos usuários que frequentam os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e demais membros da comunidade de referência. As rodas de terapia comunitária ocorrem semanalmente, contando com a participação de equipes de saúde da família.

“A terapia comunitária permite que as pessoas se sintam chamadas para expressar seus sofrimentos do cotidiano e por sua vez contribuem para o alívio da dor. Os participantes dessa terapia estão tendo oportunidades de descobrirem-se enquanto cidadãos capazes de promoverem mudanças em suas vidas e pessoas próximas”, explicou Cíntia.

Os agentes comunitários de saúde Maicon Henrique dos Reis e Lionora Raenck falarão sobre “Saber para crescer: experiência de trabalho com grupos de crianças na Atenção Básica”. Relatarão trabalhos desenvolvidos por grupos terapêuticos com crianças de 5 a 9 anos que aguardavam consulta no CAPS do município e suas buscas em escutar, acolher, atender e acompanhar estas crianças identificando as demandas e sofrimentos relatados.

Os grupos terapêuticos acontecem quinzenalmente com a participação de 10 a 15 crianças sendo realizada uma roda de conversa onde possuem um espaço de fala e de escuta de seus sofrimentos ou questões cotidianas.

São trabalhados temas como família, respeito, amizades, escola e outros levantados pelas crianças, utilizando recursos lúdicos como música, teatro, pinturas e brincadeiras.

Durante os encontros, os pais, que ficam em sala de espera, também são escutados e orientados por uma agente comunitária de saúde.

Fonte: O Alvoradense