Cachorro acolhido por Fernanda acompanhou todo velório da protetora | Foto: Divulgação / Especial / OA
Cachorro acolhido por Fernanda acompanhou todo velório da protetora | Foto: Divulgação / Especial / OA

Uma protetora de animais abandonados, moradora do bairro Jardim Aparecida, morreu na semana passada e deixou cerca de 60 animais com destino indefinido.

Chamada apenas por Fernanda pelos amigos e companheiros de causa, acolhia cachorros e gatos de rua em sua casa. Ela estava debilitada por uma série de doenças, dentre elas um câncer de pulmão e problemas graves de circulação – que a levou a amputar uma perna recentemente.

O nome verdadeiro da protetora, contudo, era Iná Gomes, que faleceu com 67 anos de idade. Ela dedicou sua vida para melhorar a dos bichos. Dentro de suas condições, cuidava de cachorros de rua, acolhia animais abandonados em frente a sua casa e até mesmo auxiliava os vizinhos com seus cães.

Iná Gomes, conhecida por todos como Fernanda, deixou 60 cães no bairro Jardim Aparecida | Foto: Divulgação / Especial / OA
Fernanda dedicou a vida aos animais | Foto: Divulgação/Especial/OA

Durante o enterro de Iná, uma cena tocou quem acompanhou o sepultamento. Um dos cães que ela acolheu durante a vida fez questão de participar do velório. Ele ficou em silêncio, junto aos familiares e amigos, e acompanhou todo funeral.

Maria Eneida da Silveira, amiga de Fernanda, foi escolhida para cuidar dos animais quando Fernanda viesse a falecer. Amiga de longa data, ela mora em Águas Claras, em Viamão, e também é uma protetora. Atualmente, acolhe mais de 400 animais no Sítio da Eneida. Agora está em busca de recursos para levar os que eram de Fernanda para seu terreno.

Os aproximadamente 60 cachorros seguem no Jardim Aparecida por enquanto. O marido de Fernanda está na casa, mas devido ao trabalho não tem tempo para seguir o projeto da esposa. Uma senhora está sendo paga para alimentar, limpar e cuidar dos animais.

A campanha para angariar fundos começou, e já conta com uma página no Facebook. A ideia é conseguir dinheiro para construir novos canis no Sítio da Eneida, possibilitando a transferência dos bichos. São aceitas também doações como ração para cachorro. Qualquer um dos animais pode ser adotado. Mas, Eneida faz uma ressalva: “tem que ser uma pessoa responsável, que tenha condição de dar uma vida digna para esses bichinhos.”

Mais informações sobre como doar ou adotar algum dos animais podem ser obtidas pelo telefone (51) 9302-2380.

Fonte: O Alvoradense