Palco do clássico 393, o estádio colorado passa por reformas visando a Copa do Mundo de 2014, o que diminui sua capacidade de público | Foto: Inter / Divulgação / OA

A semana que antecedeu o Gre-Nal 393 foi polêmica, como sempre acontece nas vésperas dos grandes clássicos. O problema da vez foi a capacidade do estádio colorado, que está em obras para a Copa do Mundo de 2014.

Ainda remexendo nos problemas que abrigam as torcidas no Estádio Beira-Rio, o Grêmio não se contentou com o laudo dado pela construtora Andrade Gutierrez, nem com a definição da Brigada Militar. Em vez dos 750 ingressos estipulados na segunda-feira, o clube entende que deve receber 10% dos bilhetes em relação à capacidade total do Beira-Rio para o Gre-Nal do próximo domingo, às 16h, pelo Brasileirão.

O presidente Paulo Odone chegou a enviar um ofício para a Federação Gaúcha de Futebol, Brigada Militar e Confederação Brasileira de Futebol exigindo a quantia, que seria em torno de 1,7 mil entradas. Apegado nas leis e no bom estatuto do torcedor, o presidente Paulo Odone, se apoiou no artigo 87 do Regulamento Geral das Competições da CBF que afirma: “O clube visitante terá o direito de adquirir a quantidade máxima de ingressos correspondente a 10% da capacidade do estádio, desde que se manifeste em até três dias úteis antes da realização da partida, através de ofício dirigido ao clube mandante, necessariamente com cópia às federações envolvidas e à DCO”.

A polêmica só teve fim da quarta-feira, dia 22. Uma reunião entre os dirigentes dos dois clubes e da Brigada Militar definiu que a torcida tricolor terá mil ingressos disponíveis. Os vermelhos terão a sua disposição 17,6 mil entradas. Todas elas se esgotaram em menos de 48 horas.

Menos preocupado com as questões de ocupação da arquibancada, o Inter pensa nas peças importantes que faltam no seu elenco. Enquanto o Grêmio está com todo o seu time a disposição, o Colorado não poderá contar com a sua estrela maior. D’Alessandro surgiu no gramado no CT do Parque Gigante de chuteira na manhã desta terça-feira, dia 21. Fez corridas leves e trabalhos com bola, sob supervisão do fisioterapeuta Mauren Mansur. Mesmo assim, está fora do Gre-Nal do próximo domingo, válido pela última rodada do primeiro turno do Brasileirão. O argentino não entra em campo desde o dia 28 de julho.

Ministério nos treinos

O técnico Vanderlei Luxemburgo afirmou em entrevista coletiva que vai esconder o time para o jogo que encerra o primeiro turno do Brasileirão. “É o (meu) trabalho e vou esconder mesmo. Vou fechar treino, proibir a torcida e fazer várias coisas que vocês (imprensa) adoram”, disparou Luxa.
Do lado do Inter não vai ser diferente, já que o clube tem previsto dois treinamentos com os portões fechados, um foi na quinta e outro acontece nesta sexta-feira.

 

Fonte: Laura Toscani / O Alvoradense