Banda ja dividiu palco com ícones do reggae nacional e internacional | Foto: Jonatan Amaral / Brilho da Lata / Divulgação / OA
Banda já dividiu palco com ícones do reggae nacional e internacional | Foto: Jonatan Amaral/Brilho da Lata/Divulgação/OA

Mais uma vez o coletivo cultural Brilho da Lata promete trazer aos alvoradenses uma noite cheia de luz e arte.

O reggae-rock-político-performático da banda tem agradado plateias por toda Porto Alegre e Região Metropolitana, abrindo novamente as portas do reggae na região.

Eles, que já dividiram o palco com grandes nomes do reggae nacional e internacional como Chimarruts, Ponto de Equilibro, Mato Seco, Tribo de Jah, Maskavo, Armandinho, Planta e Raiz, Produto Nacional, Cultivo, Steel Pulse e SOJA, realizam apresentação no Boteco do Neco, neste sábado (24), e prometem afastar todas as energias negativas – e cultivar a positividade – com letras que vão do romantismo às criticas sociais, sem panfletagem.

O show começa às 23 horas e os ingressos podem ser adquiridos no local por R$ 15. O Boteco do Neco fica na avenida Presidente Getúlio Vargas, 2845, altura da parada 51.

Além do show da Brilho da Lata em Alvorada, os fiéis frequentadores do Subtê Café (São Borja, 249) também terão dois eventos para agitar a noites de sexta (23) e sábado (24). Na sexta à noite será de blues com o show de Sandinho Cerrado Blues lançando seu novo cd.

Sábado (24) a noite também é de reggae no Subtê com a segunda edição da “Festa Banda do GrooV.I Convida”. Se apresentam nesta edição Narrador Kanhanga, com a prévia do seu segundo disco, Marcos Vinicius (MC Caramujo, da banda Diagnóstico Urbano) e DjAbú.

Exposição
Quem passar pelo Subtê no final de semana também pode aproveitar para prestigiar a exposição “Depois do Sol”, em cartaz na casa até o dia 5 de setembro.

A mostra tem imagens dos fotógrafos Jorge Aguiar, Cristiano Guimarães, Erick Feijó, Jamaikah Santarém, Josemar Albino, Karla Nyland, Márcia Antunes, Rogério Amaral Ribeiro e Suzana Beatriz.

A entrada para a exposição é gratuita.

Fonte: O Alvoradense