Carteira de vacinação prevê imunização até os seis anos / Foto: Reprodução / OA

São muitos os casos de caxumba surgindo em todo o Estado, e há cidades em que a vacinação de jovens e adultos é sugerida, devido à intensidade do problema.

Contudo, em Alvorada, seguindo padrões do Governo do Estado, não existe surto da doença, pois, de acordo com a  Secretaria Municipal de Saúde, os casos registrados são individuais, de apenas um membro por família, por exemplo, apesar de ser transmitida como a gripe, através da saliva.

Ainda segunda a Saúde, o número de casos aumentou, assim como o registro em todo o Estado, por ser a caxumba uma doença viral de fácil transmissão. Sua principal característica é o inchaço das glândulas salivares em pelo menos um dos lados do pescoço, que fica dolorido e febre.

Alvorada registrou 72 casos já confirmados de caxumba, sendo 48 deles em pessoas de 11 a 20 anos. O tratamento mais adequado é o repouso, ingestão de líquidos e para a dor, pode ser usado um analgésico e a febre com antitérmico, conforme prescrição médica.

Mas a melhor prevenção ainda é a vacinação, em geral, associada às vacinas contra sarampo e rubéola. As três juntas compõem a vacina Tríplice Viral, sendo a primeira dose aplicada aos doze meses e a segunda, entre 4 e 6 anos. Em casos de surto, que não é a situação de Alvorada, pode ser aplicada em crianças maiores, jovens e adultos. Contudo, quem já teve a doença possui os anticorpos e está imune.

Fonte: O Alvoradense