Schumacher concedeu entrevista ao jornal O Alvoradense durante a semana | Foto: Divulgação / OA

Vereador mais votado do Partido dos Trabalhadores em Alvorada nas eleições de 2012, Cristiano Schumacher descartou a possibilidade de deixar a sigla em direção ao PMDB. Em entrevista ao jornal O Alvoradense, o vereador confirmou que fica no partido no qual milita a 23 anos e está preparado para “o que o partido precisar”.

Entre os motivos que pesaram para o posicionamento definitivo está o atual cenário político nacional. “É muito caro para mim sair do PT agora. Trocar de palanque poderia ser muito fácil, mas não é o momento de deixar o partido para trás”, avalia, ao lembrar que não gostaria de ser “uma nova Marta Suplicy”. A senadora deixou o PT em abril de 2015 e foi para o PMDB. No novo partido, passou a tecer críticas pesadas contra os petistas.

Logo nos primeiros meses após assumir na Câmara, em 2013, Schumacher rompeu com o prefeito Professor Serginho. O posicionamento no Legislativo atraiu outras siglas, explica o vereador. “Estabeleci uma relação de amizade e respeito com o PMDB porque assim como eles eu não tinha cargos no governo e podia agir de maneira independente”, diz. No momento em que decide permanecer no PT, Schumacher também faz questão de agradecer o apoio que recebeu dos peemedebistas.

A permanência no Partido dos Trabalhadores não faz de Schumacher o candidato natural da sigla. “Minha candidata é a Stela. Para ela vai meu apoio e minha militância. Não farei qualquer disputa com ela”, garante. Ele, contudo, diz que seu nome está à disposição do partido caso Stela não seja a candidata. “Respeito o Serginho, mas a Stela é o melhor nome para vencer as eleições e contruir um bom governo.”

Schumacher evita tecer críticas diretas ao prefeito. Se limita a dizer que Serginho “se atrapalhou”. Ainda assim, garante: “O PT é bem maior que o governo Serginho e já fez muito bem para esta cidade.”

Na sua avaliação, cabe ao partido, a partir de agora, realizar um balanço interno crítico sobre os últimos quatro anos, aproveitar experiência exitosas e construir um projeto ousado de cidade. Além de Stela, ele cita o prefeito de Canoas, Jairo Jorge, como outro exemplo petista positivo. “O rouba mas faz não pode ser a tônica das eleições.”

O petista revela que “amplos setores” do partido lhe pediram para ficar. O objetivo, agora, é reorganizar e unir o PT em Alvorada.

Fonte: O Alvoradense