Foto: Emmanuel da Rosa / Especial Palácio Piratini / OA

Dados da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul divulgados na manhã desta quinta-feira (26) alarmaram o Estado ao indicar aumento de expressivos 139% nos casos de estupros registrados durante o ano de 2016. Os números, contudo, estavam errados.

Em 2015, 1.426 mulheres registraram que sofreram violência sexual contra 1.425 no ano passado. Anteriormente, os dados indicavam que o registro deste tipo de violência havia passado de 589 para 1.409. Desta forma, houve a diminuição de um caso e não o aumento de mais que o dobro.

O governo informou que o problema ocorreu devido a falha do servidor que passou os números para a planilha oficial.

O secretário responsável pela pasta, Cezar Schirmer, chegou a se dizer “absolutamente chocado” com os dados referentes a estupros no Rio Grande do Sul, e prometeu agir para mudar essa situação. A suposta elevação nos casos também foi associada a um eventual aumento no caso de denúncias referentes aos crimes. Nos dados apresentados durante café da manhã com a imprensa, imagens com os dados foram projetadas e distribuídas à imprensa.

Outros crimes contra a mulher

Outros tipos de violência contra a mulher tiveram queda no período, como o feminicídio consumado e o tentado, a ameaça e a lesão corporal. Ainda assim, 96 mulheres foram mortas por companheiros ou ex-companheiros em 2016. No ano anterior, 99 mulheres tinham sido vítima deste mesmo crime.

Apesar de ter diminuído quase 8%, o número de casos de lesão corporal ainda é bastante alto no estado. Mais de 22,5 mil mulheres prestaram queixa contra agressões sofridas. Em média, 61 mulheres são agredidas por dia no Rio Grande do Sul.

Fonte: O Alvoradense / Com informações do Correio do Povo