Conforme o secretário da Fazenda, faltariam R$ 360 milhões para honrar a folha salarial na integralidade no final do mês | Foto: Arquivo/Palácio Piratini/OA
Conforme o secretário da Fazenda, faltariam R$ 360 milhões para honrar a folha salarial na integralidade no final do mês | Foto: Arquivo/Palácio Piratini/OA

O parcelamento dos salários dos servidores públicos foi confirmado pelo Governo do Estado. Os valores foram depositados em dois contracheques: um de R$ 1,8 mil e outro de R$ 350, que totalizam R$ 2,15 mil – este é o pagamento máximo. 52,8% do funcionalismo está recebendo em dia. O secretário da Fazenda, Giovani Feltes, esclareceu a medida em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (31). O governador José Ivo Sartori não compareceu ao anúncio.

Segundo Feltes, faltam R$ 360 milhões por mês para pagar os salários integrais em dia. Serão três parcelas: uma feita nesta sexta, outra no dia 13 e o restante dia 25 de agosto. Quem recebe mais de R$ 3.150 receberá o valor total somente no final do mês. Com isso, está confirmado o atraso de 25 dias na conta de alguns trabalhadores.

Setores já assinaram a paralisação | Foto: Divulgação / OA
Setores já assinaram a paralisação | Foto: Divulgação / OA

Servidores de diversos setores devem parar já nesta segunda-feira (3). A paralisação por um dia já foi deliberada por 40 entidades do serviço público na tarde da última quarta-feira. Com a confirmação do parcelamento do Estado, essa pausa pode avançar para uma greve geral por tempo indeterminado.

• ASSINE: Receba a edição impressa do jornal O Alvoradense em casa

A segurança será um dos setores mais afetados. Existe uma decisão judicial que garante o pagamento integral dos salários dos policiais militares. O presidente da Associação dos Sargentos Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar (Abamf), Aparício Santelano, afirmou que neste caso os PMs também podem descumprir a lei que os impede de entrar em greve.

José Ivo Sartori recebe ação que pede sua prisão e sequestro de bens

Esta é a primeira vez que o governador José Ivo Sartori optou por parcelar os salários. Ao todo, a folha salarial do funcionalismo gaúcho chega a R$ 1,8 bilhão. Os cortes atingiram 38% da categoria dos educadores, e 62 mil professores estão com salário atrasado.

Fonte: O Alvoradense