Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil / Arquivo / OA

A Sugestão 11/2020, que pretende criar o 14º salário para os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social, teve parecer favorável do relator, o senador gaúcho Paulo Paim.

Desta forma o Senado Federal, por meio da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa já se prepara para votar a implementação do 14º salário emergencial.

Este valor, além de socorrer aos aposentados, os que estão em grupo de risco, também pode servir como uma injeção de recursos na economia, movimentando o comércio em janeiro de 2021.

Conforme comprovado por pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em 2018, 43% dos brasileiros com mais de 60 anos são arrimos de família, percentual que sobe para 53% no caso dos homens.

Assim, a renda extra é importante para sobrevivência desses brasileiros, principalmente no período pós-pandemia.

O texto foi aprovado pelo relator Paim em junho, e ele entende que “além do caráter humanitário da medida, o dinheiro retorna muito rápido para o comércio em geral, possibilitando um aquecimento na economia nacional já no início de 2021 e podendo assim alavancar outros setores da economia”.

A proposta, agora, segue para ser votada na comissão. Se aprovada, vai garantir o pagamento do 14º salário para quem recebe auxílio-doença, auxílio-acidente, aposentadoria, pensão por morte e auxílio-reclusão.