Comércio, escolas, agências bancárias e transporte público. Saiba o que abre e o que fecha na quinta-feira | Foto: Jonathas Costa/OA
Comércio, escolas, agências bancárias e transporte público. Saiba o que abre e o que fecha na quinta-feira | Foto: Jonathas Costa/OA

As informações levantadas até o momento (23h de quarta-feira) são as que seguem:

Em Alvorada
ESCOLAS MUNICIPAIS E ESTADUAIS
Cada instituição deverá definir a adesão à paralisação. A tendência é que não tenha aula, conforme orienta o Cpers e o Sima. Confira cada caso:

Paralisação total – Érico Veríssimo e Monteiro Lobato.
Vão funcionar – Almira Feijó, Padre Léo, Alfredo José Justo, Idalina, Manoel Luiz Osório, Castro Alves e Frederico Dihl. As aulas, no entanto, ficarão condicionadas à possibilidade dos professores e alunos em chegarem às instituições. 

ESCOLAS PARTICULARES
O Sindicato dos Professores do Ensino Privado do RS (Sinpro-RS) também aderiu à mobilização. Cada escola, no entanto, deve divulgar um posicionamento.

Paralisação total – São Marcos, Salvador Jesus Cristo, Novo Horizonte, Universitário e QI.
Vão funcionar – Adventista (alunos não receberão falta e atividades valendo nota foram suspensas) e Êxito.

POSTOS DE SAÚDE
O Sima orienta os agentes de saúde e servidores de forma geral a não trabalharem na quinta-feira. O atendimento mínimo, no entanto, é garantido por lei. No posto da Nova America a orientação repassada aos pacientes na manhã desta quarta-feira (10) era que haveria atendimento normal. A Unidade Básica de Saúde da Americana, no entanto, informou que a maioria dos funcionários moram em outras cidades, e que por isso decidiu cancelar todos os atendimentos. A prefeitura organiza uma remanejo de médicos para garantir o atendimento mínimo.

ÔNIBUS
Por meio de nota a empresa informou que espera operar normalmente ao longo do dia, no entanto o sindicato dos rodoviários garante que não haverá linhas em funcionamento, tando da Soul quanto da Val. Bloqueios na porta da garagem da empresa podem ocorrer.

AGÊNCIAS BANCÁRIAS
Seguindo orientação do sindicato estadual, não vão abrir ou terão horário reduzido.

COMÉRCIO
A Acial informou que a orientação para lojistas é que abram normalmente. Havendo risco de segurança o comércio deve fechar as portas, principalmente os estabelecimentos ao longo da avenida Presidente Getúlio Vargas.

MERCADOS
A rede Cerealista Oliveira e o supermercado Asun anunciaram que vão funcionar normalmente.

AGÊNCIA DO INSS
Também orientou os funcionários para trabalharem normalmente, no entanto, caso os seguranças da agência não consigam chegar ao local de trabalho ou decidam paralisar, a unidade não vai abrir.

CORREIOS
Conforme orientação da Central em Porto Alegre, os serviços de postagem funcionarão normalmente. As correspondências de urgência, como Sedex 10, Sedex 12 e Sedex Hoje, contudo, serão suspensas. 

PREFEITURA
O atendimento à população na Secretaria de Fazenda e de Administração será normal ao longo do dia.

FORO
Acatando determinação do Tribunal de Justiça, não terá expediente.

No Estado
ÔNIBUS MUNICIPAIS

As linhas foram suspensas pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer). De acordo com o órgão a medida visa garantir a segurança dos passageiros, já que estão previstos bloqueios em diversas rodovias.

TRANSPORTE PÚBLICO
Em Porto Alegre os rodoviários garantem que não haverá circulação de ônibus ao longo de todo o dia. O Trensurb deve funcionar apenas nos horários de pico, das 5h30min às 8h30min e das 17h30min às 20h30min.

COMÉRCIO
O Sindlojas orienta que os comerciantes abram suas lojas normalmente na quinta-feira, medida que diminuiria os prejuízos registrados no mês de junho com atos de vandalismo em protestos, os mais tensos em Porto Alegre. O Sindicato dos Comerciários, no entanto, garante adesão ao dia de protestos e pede que funcionários não trabalhem ao longo da quinta-feira.

SHOPPINGS
Garantem funcionamento normal.

UNIVERSIDADES
A maioria das instituições já anunciaram cancelamento, antecipação ou adiamento de atividades. Ulbra, PUCRS e UniRitter determinaram suspensão das atividades. UFRGS manterá o campus aberto, mas professores e alunos farão mobilização no local.

JUSTIÇA
Suspendeu o atendimento em todo o Rio Grande do Sul. Casos de emergência serão atendidos pelo plantão judicial.

Fonte: O Alvoradense