Servidora precisou ser amparada por colegas | Foto: Reprodução / OA

Durante a ocupação da Prefeitura pelos servidores, desencadeada após o atraso no pagamento do salário de dezembro, uma cena acabou chamando a atenção e teve grande repercussão na internet. A agente comunitária de saúde Luciana Kuse Silva interrompeu a reunião entre sindicato e membros do governo e, com os braços firmes em direção a Serginho, realizou um desabafo emocionado.

Passados 12 dias do episódio e com o salário de dezembro finalmente pago, o que ocorreu na sexta (15), Luciana conversou com o jornal O Alvoradense e afirmou que segue “de olho neles”. “Nunca mexeram no bolso dos servidores, e isso agora foi demais”, analisa.

Casada, mãe de dois filhos de 19 e nove anos, ela é agente de saúde da prefeitura há sete anos. Luciana explica que no dia em que fez o desabafo aguardava o resultado da reunião nas escadarias da prefeitura, mas resolveu ver o que estava acontecendo no São Nobre, quando uma colega passou por ela chateada com o que havia ouvido do prefeito e secretários.

“Fiquei na porta ouvindo, observando, foi quando entrei e falei olho no olho”, relembra. Visivelmente alterada, Luciana contou os representantes do governo que havia servido na ceia da virada do ano arroz e feijão e que ouviu o filho mais novo que aquele era ‘o pior Ano Novo da vida deles’.

Ela nega que tenha sido uma cena orquestrada. “Muitos me disseram depois que gostariam de ter feito o que eu fiz: lutar por seus direitos”, diz a servidora, que após o desabafo foi amparada pelos colegas e precisou de atendimento médico devido ao nervosismo.

Fonte: Mariú Delanhese / O Alvoradense