Servidores municipais não se sentiram satisfeitos com as propostas do governo | Foto: Jonathas Costa
Servidores municipais não se sentiram satisfeitos com as propostas do governo | Foto: Divulgação

Seguem as discussões entre os servidores municipais e o governo em Alvorada. Em nova reunião realizada na manhã desta quinta-feira (18), os municipários aceitaram somente duas propostas, das cinco que estavam em debate.

As duas partes entraram em acordo com relação ao auxílio-creche. Antes, se dois servidores fossem casados, somente um recebia o benefício. Com esta proposta, ambos passam a ter direito dos R$ 100,00 ao mês.

Além disso, houve comum acordo sobre o aumento do salário dos auxiliares de técnico de enfermagem. Quem já estiver formado em algum curso técnico passará a receber mais, já que, segundo o sindicato, a função exercida é a mesma que a de quem eles auxiliam. Atualmente, existem 32 profissionais na área. Destes, 22 já estão aptos a ganhar o aumento.

O tíquete alimentação, entretanto, não foi aceito pelo sindicato dos servidores municipais. Houve um aumento no valor, mas não teve redução do desconto. De R$ 15,00 eles passarão a receber R$ 18,00. Todavia, eles pagam 50% deste valor.

Os servidores pedem 12% de aumento salarial. Proposta não aceita pelo governo, que não apresentou acréscimo de nenhum valor. Além disso, atualmente a licença premio é destinada somente ao magistério, e o sindicato exige que o benefício seja para todos.

Rodinei Rosseto, presidente do SIMA, acredita que os benefícios devem ser para todos ou para nenhum. “Se não tem dinheiro para o reajuste, que ao menos nos paguem a licença premio”, afirmou o presidente. Caso os pedidos não sejam acatados pelo governo, Rosseto não descarta levar o caso para justiça.

Fonte: O Alvoradense