Assembleia da categoria aprovou por unanimidade paralisação na próxima quarta-feira | Foto: Jonathas Costa / OA
Assembleia da categoria aprovou por unanimidade paralisação na próxima quarta-feira | Foto: Jonathas Costa / OA

Os servidores municipais de Alvorada decidiram paralisar as atividades na próxima terça-feira, dia 11, data em que a Câmara de Vereadores deve votar o reajuste do vale-refeição da categoria.

Em assembleia geral nesta quarta-feira, mais de cem servidores votaram a favor da paralisação e agendaram para o próximo dia 20 a decisão sobre uma possível greve geral na cidade.

Segundo o presidente do sindicato, Rodinei Rosseto, este é o tempo necessário para garantir a mobilização esteja dentro da legalidade.

Segundo os sindicalistas, postos de saúde, escolas e secretarias municipais não funcionarão durante toda a terça-feira.

Eles devem se reunir em frente à prefeitura a partir das 7h e aguardar a votação do projeto na Câmara, marcado para começar às 17h30min.

Sessão plenária que votaria reajuste do vale drou poucos minutos na semana passada| Foto: Jonathas Costa / OA
Sessão plenária que votaria reajuste do vale drou poucos minutos na semana passada| Foto: Jonathas Costa / OA

Projeto polêmico
Na semana passada o projeto de autoria do Executivo foi retirado da pauta de votação da Câmara dos Vereadores em uma sessão que durou pouco mais de três minutos. Apesar de ter a maioria para aprovar a proposta, o governo surpreendeu ao recuar, adiando a votação para a próxima terça-feira, dia 11.

Na ocasião o sindicato alegou que não havia sido avisado sobre a retirada do projeto e uma plateia composta por dezenas de servidores deixou o prédio sob gritos de greve.

O governo oferece reajuste de 30%, que eleva o benefício dos atuais R$ 8,50 para R$ 11,05, e redefine novas faixas de desconto. O sindicato questiona o critério de isenção e pede que o valor suba para R$ 14, um aumento equivalente e 64%, com desconto de 20% para todos os funcionários, o que garantiria pagamento mínimo de R$ 11 para cada servidor.

“A prefeitura já sinalizou que neste ano não haverá aumento salarial, então exigimos que pelo menos o vale-refeição seja reajustado corretamente”, explica o diretor de comunicação do Sima, Vitor dos Santos.

Líder da bancada petista na Câmara, Juliano Marinho já sinalizou que o governo não pretende rever a proposta, apesar da retirada da pauta de votação. “Chegamos no limite”, avisou o vereador sobre o reajuste do vale.

Fonte: O Alvoradense