Os servidores municipais de Alvorada realizam nesta quarta-feira a assembleia geral da categoria, na sede campestre do Clube União.

Após as polêmicas sobre o projeto do executivo que concede um reajuste ao vale-refeição inferior ao exigido pelo sindicato, a paralisação geral das atividades é considerada certa.

Na semana passada o projeto foi retirado da pauta de votação da Câmara dos Vereadores em uma sessão que durou pouco mais de três minutos. Apesar de ter a maioria para aprovar a proposta, o governo surpreendeu ao recuar, adiando a votação para a próxima terça-feira, dia 11.

Na ocasião o sindicato alegou que não havia sido avisado sobre a retirada do projeto e uma plateia composta por dezenas de servidores deixou o prédio sob gritos de greve.

Líder da bancada petista na Câmara, Juliano Marinho já sinalizou que o governo não pretende rever a proposta, apesar da retirada da pauta de votação. “Chegamos no limite”, avisou Marinho sobre o reajuste do vale.

A proposta do governo é de implementação de uma nova tabela de valores e descontos. Governo e sindicato, no entanto, divergem sobre o número de servidores que seriam beneficiados com o reajuste.

Na assembleia desta quarta, marcada para começar às 17h, também entrará em votação a proposta de elaboração de um projeto de lei de iniciativa popular. A intenção é enviar para a Câmara um limitador do gasto do Executivo com cargos de comissão em 2,5% da receita líquida corrente do município.

Fonte: O Alvoradense