Servidores municipais terão reajuste de salário de 13,1%

Reforma administrativa proposta pela Prefeitura foi aprovada na Câmara de Vereadores

423
Foto: Mariú MD / Especial / OA

Transcorreu com tranquilidade a sessão extraordinária da Câmara de Vereadores ocorrida na tarde de quinta-feira (06) quando foi votada a Reforma Administrativa proposta pela Prefeitura e que promove mudanças na regulamentação do regime jurídico dos servidores públicos municipais.

Entre as principais conquistas, está o reajuste real de 13,1% (INPC+2%) no salário de todos os municipários e mais 15% aos professores que possuam regência de classe e 25% aos Guardas Municipais que atuam nas ruas da cidade.

Houve ainda um aumento de 41% no valor do Vale Alimentação, com congelamento no percentual de desconto em folha deste benefício.

Reprovação

A grande maioria dos mais dos artigos apresentados recebeu a aprovação por unanimidade, exceto o que cria 170 cargos de confiança (CC), que teve reprovação nas falas dos vereadores Celmir Martello (Dem), Giovana Thiago (PT), Leandro Tur (PT) e Zezo (PDT). A ausência de quatro parlamentares foi justificada por suspeita de Covid-19. Também o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada (Sima) questionou a iniciativa.

Diálogo

Tanto o presidente da Câmara, vereador Cristiano Schumacher (PTB), como o presidente do Sima, Rodinei Rosseto, salientaram a importância do diálogo entre os vereadores e os servidores para o sucesso da inclusão de emendas e votação.

Ainda que houvesse pouco tempo para a análise dos mais de 200 artigos, entregues à Casa Legislativa na terça-feira (04), a disposição dos envolvidos em conversar levou a um resultado positivo, avaliam os presidentes.

Estiveram presentes ao plenário da Câmara, que cumpriu protocolos de distanciamento, inclusive com limite de pessoas presentes, a diretoria do Sima, servidores, a Guarda Municipal e os secretários Eder Fraga, do Planejamento Urbano e Habitação, e José Luis Correa, dos Serviços Urbanos.

Fazenda

Marcelo Machado, secretário Municipal da Fazenda, informa que será necessário analisar o conjunto de emendas que criaram novas despesas e refazer cálculos para confirmar o impacto financeiro que a reforma terá nos cofres da Prefeitura de Alvorada.