Marca no peito mostra a força do tiro, aparado pelo colete / Foto: Arquivo Pessoal / OA

Apesar das dores, passa bem o soldado Florenço, que foi atingido durante confronto ocorrido na noite de sábado (23) no bairro Santa Bárbara. Da ação, além do policial ferido, um dos suspeitos acabou morto e outros três presos.

O soldado de 25 anos, que há quase quatro atua no município, foi atingido por um tiro na coxa e, em consequência, teve a perna quebrada. Outro disparo acertou seu colete e lhe deixou uma marca no peito.

Internado no Hospital Cristo Redentor, recentemente palco de confronto de homens fortemente armados com a Brigada Militar, Florenço conversou com a reportagem do jornal O Alvoradense na tarde desta segunda-feira (25).

Questionado sobre se sentir preparado para uma ação como a que enfrentou, respondeu que estava seguro e convicto da forma como agiu. “Minha conduta policial sempre foi dentro da técnica, com respeito ao próximo e dedicação à profissão”, disse o soldado do Pelotão de Operações Especiais (POE) de Alvorada.

Contudo, admite que a experiência vai mudar muito sua vida, principalmente na valorização da família e dos companheiros de farda. “O apoio de todos não tem explicação. São heróis de farda, meus irmãos. Minha vida ficou na mão deles, devo tudo a meus colegas!”, afirmou lembrando que toda a corporação, e até mesmo os de folga, se mobilizaram em torno do que lhe aconteceu.

Florenço relembra um sentimento comum entre os Policiais Militares: “Saímos para trabalhar sem saber se voltamos vivos ou feridos, sempre pondo nossa vida em risco para proteger a comunidade. Aqui dependemos e ajudamos um aos outros”, avalia.

Fonte: O Alvoradense